Jornal Txopela

(Liberdade e Independência)

 

Código de Ética

 

Apresentação

A Missão, a Visão, os Princípios Gerais, os Valores e as Normas de Conduta constantes do Código de Ética integram a Cultura do Jornal Txopela, a qual deve presidir à conduta profissional de todos os que trabalham na empresa, impondo a sua divulgação junto das “partes interessadas”.

 

Objectivos

Missão

O Jornal Txopela, tem como objectivo a recolha e tratamento de material noticioso ou de interesse informativo.

Visão

Afirmar a importância nacional e internacional do Jornal Txopela, ajustando qualitativamente os seus serviços e a sua presença no território nacional e no espaço lusófono, no âmbito da circulação democrática e plural da informação noticiosa.

Princípios gerais e valores

 

Comunidade humana de trabalho

O Jornal Txopela assume-se como uma comunidade humana de trabalho, fundada em interesses e orientações definidas pelos seus accionistas e estruturada no respeito pelos direitos dos que nela trabalham e na cooperação mútua.

Direitos humanos

O Jornal Txopela revê-se e observa os valores consagrados na Declaração Universal dos Direitos do Homem e nas orientações da Organização Internacional do Trabalho, nomeadamente no que se refere aos princípios da não discriminação e da igualdade de tratamento e de oportunidades.

Legislação

O Jornal Txopela desenvolve a sua actividade no respeito pela legislação em vigor e recusa todas as situações de fraude e quaisquer práticas susceptíveis de falsear ou tornar menos transparentes os negócios e processos em que participa.

Valores

Além do interesse público, os princípios que orientam a actividade e comportamentos dentro da organização são a clareza, o rigor, a isenção, a pluralidade da informação, a rapidez, a qualidade e o trabalho em equipa.

Normas de conduta

 

Vínculo

Os jornalistas do Jornal Txopela estão vinculados ao Código Deontológico do Jornalista, e, como os demais colaboradores do Jornal Txopela, ao presente Código de Ética.

Património

Os colaboradores do Jornal Txopela devem constituir-se como depositários do património físico, financeiro e intelectual da empresa que lhes estiver confiado, deles fazendo o conveniente uso, não permitindo a utilização abusiva por terceiros dos serviços e ou das instalações.

Recursos

Os recursos do Jornal Txopela não devem, em regra, ser usados pelos colaboradores para fins pessoais, devendo as eventuais excepções ser expressamente autorizadas, desde que economicamente irrelevantes e eticamente irrepreensíveis.

Redução de custos

Os colaboradores do Jornal Txopela e em especial os dirigentes, no exercício da sua actividade, devem adoptar os procedimentos mais adequados a uma política de limitação e redução de custos e despesas da empresa, garantir uma maior eficiência dos recursos disponíveis, e assim obter melhores resultados.

Lealdade

Os colaboradores do Jornal Txopela devem assumir um comportamento de lealdade perante a empresa e, no âmbito da actividade e responsabilidade profissionais, evitar a sobreposição de eventuais interesses próprios ou de terceiros, empenhar-se na garantia da defesa dos interesses do Jornal Txopela, salvaguardando e garantindo a sua boa imagem, credibilidade e prestígio.

Criatividade

Os colaboradores do Jornal Txopela, nomeadamente os seus jornalistas, devem integrar a exigência da criatividade como um elemento fundamental na abordagem do seu conteúdo funcional.

Limites de competências

Os colaboradores do Jornal Txopela devem orientar a sua actuação profissional no escrupuloso cumprimento dos limites das responsabilidades que lhes estão atribuídas, e devem fazer uso das competências que lhes tenham sido delegadas de forma rigorosa e não abusiva, tendo sempre como limite a concretização dos objectivos da empresa.

Profissionalismo

Os colaboradores do Jornal Txopela devem exercer a sua actividade com verdadeiro profissionalismo, brio, tempestividade e competência, e ter como objectivo a excelência do desempenho.

Sigilo profissional

Os colaboradores do Jornal Txopela, mesmo após o termo das suas funções, estão sujeitos ao dever de absoluto sigilo profissional, nomeadamente quanto a matérias que, pela sua natureza, envolvam a reserva da empresa e outras que, por lei, estejam interditas ao conhecimento público.

Independência

Os colaboradores do Jornal Txopela devem pautar o seu comportamento com independência perante todos os poderes, nomeadamente, político, económico, financeiro e religioso, e subordinar a sua actividade profissional aos legítimos interesses da empresa.

Incompatibilidades

Os colaboradores do Jornal Txopela não devem exercer qualquer actividade profissional externa incompatível ou susceptível de colidir com as actividades da empresa.

Integridade

Os colaboradores e em especial os dirigentes do Jornal Txopela devem abster-se de práticas que possam pôr em causa a integridade do seu comportamento, nomeadamente, aceitar ou proporcionar ofertas e favores para a obtenção de vantagens ilegítimas na actividade empresarial, ou que por qualquer forma possam, no mínimo, ser interpretadas como tal e criar expectativas de favorecimentos.

Prendas e ofertas

Os colaboradores da empresa devem abster-se de quaisquer práticas que possam pôr em risco a irrepreensibilidade do seu comportamento, nomeadamente no que respeita a ofertas de ou a terceiros, incluindo clientes ou fornecedores.

As ofertas a terceiros não podem servir para a obtenção de vantagens ilegítimas na actividade empresarial ou ser interpretadas como tal, e não podem ser feitas a título pessoal, devendo, sempre que possível, optar-se por políticas que visem contribuir para causas sociais em alternativa à oferta comercial.

Os colaboradores não devem receber de terceiros gratificações, pagamentos ou favores, os quais podem criar, a quem os presta, expectativas de favorecimento nas suas relações com a empresa.

As ofertas recebidas de terceiros que excedam a mera cortesia ou um valor simbólico e comercialmente irrelevante, bem como a participação em eventos com componentes lúdicas não claramente criadoras de valor para a empresa, devem ser comunicadas ao superior hierárquico, e recusados se indiciadores de expectativas de obtenção de favorecimento especial por parte dos ofertantes.

Saúde, segurança e higiene

Os colaboradores do Jornal Txopela devem respeitar as normas de saúde, segurança, higiene e de bem-estar no local de trabalho e concorrer para a preservação e manutenção das condições ambientais e de segurança das instalações.

Formação contínua

Os colaboradores do Jornal Txopela devem manifestar empenho na formação contínua e na permanente actualização dos seus conhecimentos tendo por objectivo a manutenção e melhoria do seu desempenho profissional.

Espírito de equipa

Os colaboradores do Jornal Txopela devem manter e cultivar entre si uma relação profissional pautada pela cooperação mútua e cordial, por saudável espírito crítico e pelo desenvolvimento de um forte espírito de equipa.

Relação com os clientes

Os colaboradores do Jornal Txopela devem manifestar elevado profissionalismo, boa-fé e cortesia na relação com os clientes e assegurar-lhes a informação indispensável sobre o serviço, de modo a apoiá-los na tomada de decisão.

Valores

 

Respeito pela pessoa

O Jornal Txopela respeita, em todos os seus colaboradores, a dignidade da pessoa e a reserva da intimidade da vida privada, e promove a valorização contínua através de acções que concorram para o desenvolvimento das competências humanas e profissionais dos seus membros.

Assédio moral

O Jornal Txopela garante aos seus colaboradores a protecção contra actos de assédio moral ou quaisquer outros comportamentos que atentem contra a sua dignidade pessoal, nomeadamente que revistam a forma de insultos, ameaças, isolamento, invasão da privacidade ou limitação profissional.

Saúde, bem-estar e segurança

O Jornal Txopela considera a saúde, bem-estar e segurança dos seus colaborares como um valor inestimável a preservar.

Prática exigente

O Jornal Txopela elege os princípios da lealdade, responsabilidade, criatividade, profissionalismo, confidencialidade, independência e de integridade como prática exigente da actividade quotidiana de todos os seus membros.

Igualdade de oportunidades

O Jornal Txopela assegura a todos os seus colaboradores a progressão na carreira profissional em condições de igualdade de oportunidades, sem quaisquer discriminações, de acordo com o mérito individual e na observância de regulamento próprio.

Promoção do mérito

O Jornal Txopela promove o valor do mérito dos seus colaboradores mediante processo de avaliação de desempenho anual, nos termos de regulamento próprio.

Boa-fé

O Jornal Txopela respeita o princípio da boa-fé negocial com todos os seus fornecedores e clientes e assegura o cumprimento escrupuloso dos contratos.

Relações com clientes

O Jornal Txopela promove o rigor e a competência profissional nas relações com clientes, no respeito pelos seus legítimos direitos.

Desenvolvimento sustentável

O Jornal Txopela promove uma cultura de defesa e valorização da natureza e do ambiente, nomeadamente, evitando o desperdício e prevenindo a poluição, através de práticas de renovação dos recursos e tendo em consideração as consequências ambientais e sociais da sua actividade.

O Jornal Txopela considera o desenvolvimento sustentável um objectivo estratégico.

Responsabilidade social

O Jornal Txopela assume a responsabilidade social junto das comunidades onde desenvolve as suas actividades de forma a contribuir para o seu progresso e bem-estar, através da contribuição para uma gestão activa dos impactos ambientais, sociais e económicos da respectiva actividade.

 

Administração

Rigor, zelo e transparência

Administração do Jornal Txopela é exercido com rigor, zelo e transparência pelo Conselho de Administração da Afro Media Company proprietária da publicação em cumprimento das orientações aprovadas pelos accionistas e segundo os desígnios anualmente expressos no Plano de Actividades.

Boa Administração

Administração do Jornal Txopela é exercido pelo Conselho de Administração na observância dos princípios de bom governo e da excelência, nomeadamente através da adopção das melhores práticas de gestão e da promoção da competência técnica e humana.

Diálogo e informação

Administração do Jornal Txopela é exercido pelo Conselho de Administração em diálogo com todas as estruturas da organização, através de clara informação a todos os colaboradores sobre a estratégia traçada e objectivos a alcançar.

Regulamentos

O Conselho de Administração aprova os regulamentos internos considerados adequados a estabelecer normas e condutas a adoptar no desenvolvimento da actividade do Jornal Txopela, a fim de se obter a desejável uniformização de critérios e a adequada racionalização de procedimentos, no estrito cumprimento da legislação em vigor e de contenção de custos.

Considerações Finais

O Código de Ética constitui uma importante base para fortalecer a cultura da empresa e constitui uma referência fundamental no âmbito do respectivo desempenho, na prática profissional dos seus colaboradores e no relacionamento com todos os stakeholders.

Por esta razão, é essencial que este instrumento seja do conhecimento de todos os que integram o Jornal Txopela, e que esteja disponível a todos os colaboradores.

Considerando que o presente Código é um instrumento essencial no desenvolvimento da empresa e um impulso à sua melhoria, todos os colaboradores devem sentir-se identificados com o Código e ser responsabilizados pela sua observância.

É preciso não esquecer que os desafios que actualmente se colocam às empresas passam, em primeira linha, pela adopção de comportamentos baseados num forte sentido de responsabilidade social e ética, sendo determinante a tomada de consciência sobre os impactos que o exercício da sua actividade provoca.