Igreja Universal - Igreja Universal desafia o Governo a melhorar as condições dos transportes públicos

Igreja Universal desafia o Governo a melhorar as condições dos transportes públicos

/

Há quatro meses, que as igrejas ficaram enceradas em cumprimento do decreto Presidencial nº 11/2020 de Março, que  declara o estado de emergência no âmbito da Pandemia do Corona Vírus. Para o retorno aos cultos públicos, O Ministério da Justiça Assuntos Constitucionais e Religiosos, emitiu um protocolo no passado dia 23 de Julho do ano em curso, com uma lista de medidas que deve ser observado pelas confissões religiosas como condição para a reabertura dos cultos presenciais.
No dia 05 de Agosto de 2020 na sua comunicação à nação sobre o novo estado de emergência, Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da república de moçambique alíviou algumas medidas restritivas, em que na sua 1ª fase, estão incluídas actividades de baixo risco, com destaque para igrejas que também devem voltar a realizar os cultos presenciais apartir do dia 18 de agosto corrente, devendo o número de participantes não exceder 50 pessoas.
Com efeito, o protocolo emitido pelo Ministerio da Justica Assuntos Constitucionais e Religiosos obriga os locais de culto a observar todas as condições de higienização, medição de temperatura de cada crente, o uso obrigatório de máscaras ou viseiras e demarcações de espaços, para um distanciamento de metro e meio entre os crentes e determinar um número limite de participantes por cada culto.
Entretanto, o pastor Mabote da igreja universal do reino de Deus, cenaculo maior, tabernaculo com capacidade para mais de 3.000 pessoas, explicou a reportagem do jornal txopela, que o “Governo é que está desafida a melhorar a situação do transporte público, e não a igreja, porque a igreja universal reune todas as condicões de higienização, medição de temperatura, o uso obrigatório de máscaras ou viseiras e demarcações de espaços, para um distanciamento de dois metros entre os crentes”.
Segundo o nosso entrevistado as medidas o Governo moçambicano vem se focando no retorno aos cultos e esquece de olhar para as condições de transporte de pessoas nos transportes semi-coletivos e público, lugar olhado por Mabote com centro de contaminação da COVID-19.
Nos vulgros my loves este desafio é maior sendo que além da inseguraça pública devido ao risco de quedas, não é respeitado o distanciamento social submetendo as pessoas a bordo a contaminação pelo vírus.
O desafio vem num momento em que já se retorna as aulas em algumas instituições de ensino no país e esta é uma das vias de possivel contaminação das pessoas que optem por fazer uso desses transportes para a deslocação.
O Jornal Txopela escalou ainda algumas confissões religiosas baseadas na cidade de Maputo para avaliar  o nível de cumprimento das medidas impostas, como foi o caso da Igreja Católica Nossa Senhora das Gracas, localizada no bairro de xipamanine, Igreja Presbiteriana de moçambique, no bairro da Malanga, Igreja Anglicana são cipriano-no bairro do Chamanculo, Igreja Assembleia de Deus de Moçambique – Av. Eduardo Mondlane, Ministerio Envagelho em Accão – Bairro de Laulane, Igreja Universal do Reino de Deus – 24 de julho, Igreja Mundial do Poder de Deus – Av. Fernão de Magalhaes, ministério palavra de profécia- Alto Maé, Mesquita da Baixa, Mesquita Muhamad- Polana e outras igrejas emergentes, onde notamos que algumas já reunem as condições exigidas para retomar os cultos presenciais.

Edicao foto EDM - Igreja Universal desafia o Governo a melhorar as condições dos transportes públicos
Notícia Anterior

EDM corta o acesso à energia e deixa os residentes de Mazuere ás escuras

transferir - Igreja Universal desafia o Governo a melhorar as condições dos transportes públicos
Próxima Notícia

Total vai fornecer combustível a Moçambique a partir de novembro

Recente deDESTAQUES

Translate »
WhatsApp chat