molumbo mountain - Autoridades comunitárias capacitadas sobre Prevenção da COVID-19 na Zambézia

Autoridades comunitárias capacitadas sobre Prevenção da COVID-19 na Zambézia

em COVID-19/DESTAQUES por

Pelo menos 1.755 pessoas entre líderes e agentes comunitários, membros de ligação escola/comunidade e pacientes de centros de saúde foram munidas com informações sobre a pandemia COVID 19 e formas de prevenção no distrito da Molumbo, província da Zambézia.

A acção abrangeu os povoados de Mongessa, Maluwa, Muguliua, Matanta/Nantuto, Nabawa, Ntocota, Camião, Malico, Namucumua e foi desencadeada pelo Serviço Distrital de Saúde, Mulher e Acção Social de Molumbo, em parceria com o Projecto Vila Sustentável de Molumbo.

A iniciativa enquadra-se no âmbito da disseminação de informação educacional para prevenção da propagação da COVID-19. Até domingo, o número de infectados mantinha-se 76, em 1644 indivíduos testados, em Moçambique, segundo dados do Ministério da Saúde.

O distrito da Molumbo, situa-se a nordeste da Zambézia, tem mais de 300 mil  habitantes. A maioria dedica-se à agricultura e comércio trans-fronteiriço com o vizinho Malawi.

E neste momento a Província da Zambézia ainda não registou nenhum infectado pela Covid 19, sendo que esta medida das autoridades de saúde e o Projecto Vila Sustentável de Molumbo, visa essencialmente responder e controlar eventuais casos de migrantes provenientes de Malawi, pois, como se sabe o distrito de Molumbo faz fronteira com vizinho Malawi, que até então não possui nenhum caso positivo da pandemia.

Importa referir que o Projecto Vila Sustentável de Molumbo (PVSM) é implementado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional (MCTESTP), através do Centro do Investigação e Transferência de Tecnologias para o Desenvolvimento Comunitário (CITT) e conta com o financiamento do Banco Islâmico de Desenvolvimento (BID), do Fundo de Solidariedade Islâmica para o Desenvolvimento (FSID) e do Governo de Moçambique, lê-se no documento.

Leia:  Governo concede a Irlandesa Kenmare aprovação para a construção de infraestruturas para a exploração de minérios em Pilivili