Estrada Quelimane Zalala - Morosidade nas obras de asfaltagem preocupa utentes

Morosidade nas obras de asfaltagem preocupa utentes

em DESTAQUES/ECONOMIA E NEGÓCIOS por

A letargia na asfaltagem das ruas 3042 (Zalala) bairro Sampene e a Avenida Joaquim Maquival no bairro Acordos de Lusaka em Quelimane, província da Zambézia, preocupa utentes aliado às péssimas condições de transitabilidade rodoviária que concorrem para a ocorrência de sinistros e contracção de doenças devido a quantidades significativas de poeira libertada ao meio ambiente quando automobilistas passam por aquelas vias.

Trata-se de poeira que chega a dificultar a visibilidade na via pública e que cria poluição ambiental, principalmente para os comercializam produtos e residentes ao longo daquelas avenidas.

A situação preocupa residentes que vivem ao longo das avenidas e utentes que exigem tomada de medidas céleres por parte do Conselho Autárquico da Cidade de Quelimane que é o financiador das obras de asfaltagem daquelas avenidas, com o objectivo de condicionar o normal trânsito promovendo assim a saúde pública. Naquelas avenidas, passam por ali todo o tipo de carros desde ligeiros, pesados, motociclos e até ciclistas.

O Jornal Txopela, conversou com alguns residentes e automobilistas naquelas vias que foram unânimes em afirmar de tratar-se de negligência das empresas encarregas para asfaltar as avenidas e ruas que não se preocupam com as datas de entrega das obras. Por outro lado, atiram a culpa ao Conselho Autárquico da Cidade de Quelimane que se mostra incapaz de exigir que as metas se cumpram.

Já para Santana dos Santos, um dos utentes da rua 3042 (Zalala), bairro Sampene, disse que a asfaltagem das avenidas, ruas e outras infra-estruturas na cidade de Quelimane, ganham mais “arranque” quando se avizinha o período eleitoral momento em que os candidatos desdobram os seus esforços com o objectivo de criar condições de serem eleitos.

“No tempo de campanha eleitoral, máquinas circulavam de um lado para o outro com água para regar a terra e outras circulavam por circular só para nos enganar. Agora que já se conhece o vencedor, ninguém mais se importa. Só nos criaram poeira e foram embora. Onde é que estão agora?”-questionou.

Leia:  População da Madal condenada ao desprezo

A fonte, disse ainda que aquela rua tem sido palco de acidentes de viação no período nocturno. Presume como causa dos tais acidentes de viação, o excesso de velocidade aliado a poeira que chega cobrir a rua, impossibilitado assim a visão dos condutores no período em que se regista maior circulação de viaturas naquela nua.

Valdemiro Eusébio, residente no bairro Sampene, afirma ser uma boa iniciativa reabilitar a rua mas lamenta a morosidade que se verifica na asfaltagem daquela rua uma vez que por ali passa ambulâncias levando doente de algumas unidades sanitárias para o Hospital Central de Quelimane.

Valdemiro Eusébio, pede ao Conselho Autárquico da Cidade de Quelimane, financiador da obra de forma a pressionar o empreiteiro encarregue na obra de reabilitação daquela rua para acelerar o processo de asfaltagem uma vez que terminou o prazo de entrega da obra em alusão.

Conta ainda que pela falta de vigilância e paralisação da obra, condiciona o roubo de materiais de construção amotinada ao longo da rua, com destaque a pedras e areias por pessoas desconhecidas.

“Quando as ambulâncias saem dos centros de saúde que estão na outra margem passam por aqui. Imagine com essa poeira toda? Além disso tem pessoas que costumam a roubar essas pedras que estão ao longo da estrada. O que falta é, começarem a cavar esse saibro”-disse Valdemiro Eusébio, acrescentando que aguarda ansiosamente a conclusão da obra que supõe ser uma via que pode galvanizar o desenvolvimento daquele bairro.

A reabilitação da rua 3042 (Zalala) que teve seu inicio no dia um de Setembro do ano 2018, está orçado em dezassete milhões, trezentos e sessenta e um mil, sessenta e seis, vinte e quatro centavos, e a entrega estava prevista para os dias quatro de Fevereiro do ano passado.

Leia:  …Afinal, they’re “Killing for the Money”(?)

Paralelamente, decorrem as obras de asfaltagem da Avenida Joaquim Maquival, estrada que liga entre mercado floresta vulgo lixo e a Igreja Santos Anjos de Coalane que também regista atraso na conclusão e entrega da obra.

Para se inteirar no assunto, a reportagem do Jornal Makholo contactou o Vereador de Infra-estruturas do Conselho Autárquico da Cidade de Quelimane, Octávio Saide, que disse não ter autorização do Gabinete de Comunicação e Imagem para falar do assunto.