CHIPOSSE - Como desenvolver hábitos de leitura nos filhos em momentos de quarentena Vs Isolamento social

Como desenvolver hábitos de leitura nos filhos em momentos de quarentena Vs Isolamento social

em OPINIÃO por

 

Face a pandemia (COVD19) que assola o mundo inteiro, com mais danos até então, na Itália, Espanha e Estados Unidos, o governo em geral tem se redobrado na criação de estratégias de modo a evitar a propagação rápida do mesmo. Perante esse desafio mortífero, o chefe do estado moçambicano, declarou estado de emergência. Portanto, o mesmo é declarado após o país ter atingido o nível 3 de alerta, com o registo de oito casos de infecções pelo novo coronavírus, seis importados e dois por transmissão local, segundo as autoridades de saúde moçambicanos. Como forma de prevenção, o Executivo já tinha ordenado o fecho das escolas e suspendido a emissão de vistos, obrigando ainda os viajantes a ficarem de quarentena e desaconselhando aglomerações de pessoas. Uma medida necessária para proteger as vidas de todos face à propagação do novo coronavírus.

Com a orientação de rotatividade no trabalho, espera-se que os pais e/ou encarregados de educação, passem a ter mais tempo com a família, maior aproximação com os filhos bem como, acompanhamento na execução das actividades escolares dos mesmos, sobretudo no desenvolvimento de hábitos de leitura.

Importa referir que o tema leitura tem sido amplamente discutido nos meios académicos, uma vez que no processo de alfabetização precede a aprendizagem da escrita. A leitura é um processo de compreensão do mundo que envolve características essenciais singulares do homem, levando a sua capacidade simbólica e de interacção com outra palavra de mediação marcada no contexto social. No entanto, é importante ressaltar que a leitura é um instrumento básico para o progresso na aprendizagem de qualquer assunto e para a formação da cidadania.

O desafio da leitura é um desafio de democracia e de cidadania, da formação do aluno, filho, sobrinho,… cidadão leitor e coerente, e isso vai além das paredes da escola. Ou seja, podemos desenvolver em casa, através de acompanhamento. Em relação aquisição e desenvolvimento dessa habilidade importante para aprendizagem, há controvérsias, os pais e/ou encarregados de educação colocam professores como vectores no desenvolvimento da leitura portanto, na escola por outro lado, os professores, reclamam do fraco acompanhamento dos pais no processo educativo, recaindo a culpa nos pais. No entanto, a escola está fechada, então o que fazer? Vamos correr o risco de chamar os professores para nossas casas? Ou continuaremos indiferentes em relação ao processo de alfabetização dos nossos educandos? Ou continuaremos reclamando em casa? É importante que haja vínculos afectivos e emocionais entre a família, pois a presença participativa da família é essencial para o desenvolvimento saudável da criança nos aspectos cognitivos, afectivo, emocional, comportamental e social. Perante essa pandemia, somos convidados a sairmos das mantas.

Leia:  Lam: Água e Chips

Mas porque desenvolver hábitos de leitura nos filhos em momentos críticos como estes?

Alex Mutane, especialista em estudos sobre inteligência, no seu livro como gostar de ler, evoca dez (10) benefícios da leitura, mas faremos menção de 08:

  • Ler molda a nossa forma de ver o mundo: A leitura é uma fonte de informações e conhecimentos através dos quais criamos novas formas de ver e interpretar o mundo ao nosso redor. Quando lemos, absorvemos conteúdos que confrontam o que sabemos, nos desafiando a fazer mudanças em nossas crenças, atitudes…;

Ler amplia o nosso horizonte: O melhor a fazer no presente não é ficar culpando o passado que tudo o fez de nós, mas usar o presente de forma inteligente para projectar o futuro que desejamos, e a leitura pode ser ingrediente principal;

  • Ler desenvolve nosso raciocínio e senso crítico: A leitura nos permite absorver várias formas de pensamentos e várias formas de argumentação. Ela nos capacita a sabermos confrontar ideias opostas ou divergentes e dali filtrarmos o melhor e construir conclusões próprias concordando ou discordando os autores;
  • Ler melhora a nossa saúde mental: A longo prazo, a leitura tem seu papel de manter estável a massa cinzenta do cérebro, que tende a diminuir com o avançar da idade. Estudos revelam que pessoas com hábitos de leitura chegam a uma idade em torno dos 60 com o cérebro tão jovem quanto o de uma pessoa de 25 ou 30anos. A leitura tem um ganho duplo: refrescar a mente e, ao mesmo tempo, alimenta-la. Em momentos de pandemia como estes, somos convidados a desenvolver hábitos de leitura no seio das nossas famílias;

  • Ler torna a nossa mente mais criativa: Todo pai anseia em ter filhos criativos mas pouco temos feitos, para desenvolver essa nobre capacidade, chamada criatividade. Apesar de certos estudos defenderem ser inata, ela também pode ser desenvolvida através da leitura;

Ler enriquece o nosso vocabulário e melhora a nossa capacidade de comunicação: Quando fala-se de vocabulário rico, há quem pense logo em palavras rebuscadas e difíceis de entender. Porém, a riqueza de um vocabulário não consiste em usar palavras difíceis, mas em usar bem as palavras simples. O mesmo se aplica à inteligência. Inteligência não o falar usando palavras complexas ou abordar assuntos que ninguém entende. É ter a capacidade de simplificar algo difícil para que qualquer pessoa consiga entender com facilidade;

Ler amplia a nossa grade de conhecimentos: Mutane disse “O pior livro do mundo tem alguma coisa para te ensinar”. Não importa o que formos ler, sempre teremos algo a aprender. E quanto mais lemos, mais aprendemos e sabemos sobre o assunto em questão;

Leia:  “Moments of Jazz “  com George Benson

Ler melhora a nossa habilidade de escrever: Escrever é algo que todos nós fazemos e sempre precisaremos fazer. É inevitável. Portanto, para o desenvolvimento da mesma, é necessário o domínio da leitura.

Porém, temos milhões de motivos para desenvolvermos hábitos de leitura nos nossos filhos. Mas para tal, é necessário que sejamos promotores do acto, e não como diz o famoso ditado dos mestres fariseus “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço“. Notemos que observação das crianças é essencial para o processo de aprendizagem. Ou seja, elas aprendem mais observando. Davenport que diz: “Pessoas não podem compartilhar o conhecimento se não falam a mesma língua.” Portanto, os filhos devem copiar de nós essa habilidade nobre. Para incentivarmos, desenvolvermos a leitura nos nossos filhos, temos que viver dela. Torna imperioso a transformação da quarentena Vs isolamento social em momentos de aprendizagem/leitura dentro da casa. Este é o momento e a oportunidade única de diagnosticarmos o nível de aprendizagem/leitura dos nossos educandos, de modo ajudarmos. Quem sabe! Se melhoramos a capacidade de aprendizagem dos mesmos.

Este não é o momento de transformar a casa em bar, uma vez os mesmos encontram-se encerados, não é o momento de mandar as crianças comprar cerveja no bar vizinho, não é o momento de assistir filmes em série para ver o tempo passar rápido, não é o momento de criar furor em casa mas sim, criar alegria, esperança e momentos de aprendizagem, ciente de que, se cumprirmos com as orientações das autoridades de saúde e outros intervenientes sociais e sobretudo ficar em casa, iremos superar SIM, essa pandemia.