LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

Cidadãos exigem remoção de semáforos em Quelimane

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

Vandalização e recorrente mau funcionamento dos dispositivos reguladores de trânsito vulgo semáforos na cidade de Quelimane, província central da Zambézia, continuam a semear luto e dor nas famílias sob olhar sereno e cúmplice do Conselho Autárquico da Cidade de Quelimane, órgão responsável pela gestão dos sinais luminosos.
Facto é que, maior parte dos semáforos dos principais pontos críticos da cidade de Quelimane registam constantes avarias desde a sua instalação e emitem diversificadas luzes em simultâneo, o que coloca em risco a vida de peões e automobilistas.
De entre os pontos em que se exige a remoção de semáforos devido ao mau funcionamento, está a Avenida Eduardo Mondlane (Mercado Lixo), Heróis de Libertação Nacional (Capuchinhos e Mercado Central de Quelimane).
Entretanto, alguns dos sinais luminosos estão completamente apagados e outros que funcionam registam avarias constantes que provocam embaraços para peões e automobilistas nas horas de ponta.
O caso mais recente, deu-se na quinta-feira (31) pelas 16 horas, quando um automobilista que percorria a Avenida Eduardo Mondlane em direcção à Avenida Joaquim Maquival embateu e arrastou uma menor de idade de aparentemente 12 anos de idade, que registou ferimentos graves e de imediato evacuada ao hospital.
Para evitar acidentes de viação, munícipes exigem a remoção ou a reparação dos sinais luminosos instalados em alguns pontos da cidade de Quelimane e que a semanas emitem luzes em simultâneo e outros completamente apagados.
Felisberto Daudo, um dos peões que aceitou falar ao Semanário Txopela, disse que a melhor forma de solucionar o problema de sinistralidades nos pontos onde há mau funcionamento de semáforos avariados, é a reparação ou remoção dos mesmos.
“É complicado circular atravessar para outra margem, principalmente no período das 17 a 18 horas. Na verdade porque já havíamos habituado semáforos e para piorar esses automobilistas não respeitam peões”- realçou.
Elizabete Faria, vendedeira de frutas e legumes nas bermas da Avenida Eduardo Mondlane (mercado lixo), conta que em media assiste um total de oito acidentes de viação naquele ponto semanalmente e pede a quem de direito para a resolução imediata do problema que aos poucos ceifa vidas humanas.
“Quando os semáforos funcionavam, havia um pouco de ordem nessa via mas depois que começaram os problemas. Acho que isso está a duas semanas ou mais do que isso nessas condições. Ou eles removem ou reparam os danos”- recomendou.
Facto curioso, é que mesmo com a presença policial no local das sinistralidades, maior parte dos acidentes de viação, o Comando Provincial da Polícia da República de Moçambique na Zambézia desconhece os casos mas confirma a vandalização daqueles sinais luminosos. Mesmo depois de vários acidentes de viação naqueles pontos críticos, nem a Polícia de Transito e nem a Policia Municipal se dão a obrigação de alocar equipas para regular o transito naqueles pontos críticos nas horas de ponta.
O Semanário Txopela, contactou o Conselho Autárquico da Cidade de Quelimane para reagir sobre o assunto, o Porta-voz da Polícia Municipal, Melo Gonçalves, promete pronunciar-se nos próximos dias.

Translate »
Ir para topo
WhatsApp chat