Nicoadala exige a instalação de fábricas para retirar jovens do desemprego

em DESTAQUES/REPORTAGEM por

Dois jovens, duas histórias de vida, unidas pelo mesmo destino: à pobreza extrema patrocinada pela inercia de um governo letal que recorre à inercia na administração da coisa publica, corrupção e nepotismo como seu modus operandi.

José e Manuel, dois jovens abordados pelo Jornal Txopela em Nicoadala denunciam falta de vontade do governo local em resolver os problemas mais cadentes e que tiram sono a maioridade dos jovens, a falta de emprego é tido como o principal calcanhar de aquiles, conquanto há um mal ainda maior: o nepotismo nos concursos públicos “sem corrupção não trabalhas, quando há oportunidades de emprego aqui, eles metem os seus familiares, mesmo que sejas competente deixam de fora essas pessoas competentes ” = lamenta José, para quem, este tipo de comportamentos regride também o crescimento das instituições dado que não há garantias de os “tais familiares” executarão o trabalho com brio e profissionalismo. Lamenta a falta de meritocracia na selecção de candidatos no sector de saúde local principalmente.

 

Os jovens do distrito de Nicoadala, reivindicam igualmente a instalação de fábricas de processamento de produtos como medida para retirar do desemprego milhares de jovens. A única fabrica que deveria ser construída em Nicoadala, os seus recursos financeiros foram desviados, num processo pouco transparente, denuncia Manuel. Pai de 4 filhos é taxista, vive em Nicoadala a 24 anos e diz que não há garantias no final de cada dia de haverá refeição no dia seguinte para os seus filhos, considera sufocante a sua situação, entretanto tem uma visão futurista para a melhoria da sua situação e de milhares de outros jovens na sua condição “o nosso distrito produz muita coisa boa, ananas, arroz, milho, laranjas litxi que podem ser usados como matéria prima para fabricas ”.

Leia:  MISAU, mcel e Fundação Clinton assinam memorando de acesso à tecnologia para salvar vidas humanas

A prostituição, o alcoolismo e o comercio informal dominam a rotina diária dos jovens daquela circunscrição geográfica.