Basílio Monteiro: Um belicista para aniquilar a oposição na Zambézia?

em DESTAQUES/EDITORIAL por

É está a estranheza e duvida pontuda que paira na mente dos políticos da oposição na Zambézia, mormente: O Movimento Democrático de Moçambique e a Resistência Nacional Moçambicana, o facto de Basílio Monteiro, ministro moçambicano que superintende a sempre contestada policia da República de Moçambique em períodos eleitorais, ter sido destacado recentemente na qualidade de membro sénior do cinquentenário (Frelimo) como enviado do conclave supremo (Comité Central) daquela formação politica para à Zambézia, está a passar um atestado de que as eleições na Zambézia na sua equação final serão complicadíssimas para os partidos da oposição.

No MDM e na Renamo já há pronunciamentos públicos e a opinião das suas chefias é de quem não tem duvidas, “não é conscidência o facto de Basílio ter sido enviado a Zambézia, querem usar a PRM para matar, amedrontar e criar tumultos, actitudes que ferem no espirito e na letra a constituição, mas não vamos recuar nem um centímetro, liberdade ou morte “ –  palavras do candidato à governador pelo partido Renamo num encontro com membros e simpatizantes do seu partido nas entranhas do distrito de Morrumbala.

As acusações contra Jaime Basílio Monteiro de nome completo, vão de serias, mas outras nem tanto, só o tempo poderá provar algumas dessas teses. Um homem com fisionomia de um militar ríspido, nos últimos dias tem vestido a capa de um politico polido, numa entrevista recente a uma cadeia de televisão privada moçambicana, esteve na mesquita central em Quelimane em comemoração do EIDE AL ADHÁ onde pediu aos muçulmanos para orarem pela paz e fim da instabilidade em Cabo Delgado, norte de Moçambique, local de confrontos entre as Forças de Defesa e Segurança e os insurgentes armados.

Leia:  PR inaugura Central Solar de Mocuba

Será a mesma figura a quem recaem responsabilidades de pessoalmente “descer” a Zambézia para comandar todas as operações táticas para matar, mutilar, sequestrar outros compatriotas pela inglória razão de pesarem diferente do partido que governa a nação?

Antecede a esta aparição publica do ministro da policia moçambicana, o espancamento de 6 membros da Renamo em Pinda por elementos da PRM, facto que vivenciei in-loco, urge perguntar: Basílio Monteiro: Um belicista para aniquilar a oposição na Zambézia ou mera conscidência?

Biografia de Jaime Basílio Monteiro

Jaime Basílio Monteiro nasceu a 3 de Abril de 1961, no posto administrativo de Macuse, distrito de Namacurra, na província da Zambézia. É filho de Basílio Monteiro e de Maria João Surage. Ministro do Interior da República de Moçambique, desde 19 de Janeiro de 2015.

Jaime Monteiro é membro da Polícia da República de Moçambique, desde 1977, e desde a sua vinculação teve as seguintes promoções: Guarda da Polícia, em 1978; Comandante Provincial, em 1982; Adjunto Superintendente da Polícia, em 1988; Superintendente Principal da Polícia, em 1995; Adjunto Comissário da Polícia, em 2004; Primeiro Adjunto Comissário da Polícia, em 2005; e Comissário da Polícia, em 2010.