LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

NA ZAMBÉZIA: CDD Forma Monitores Eleitorais

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

Um número de 58 monitores participam a partir desta segunda-feira (12) de uma formação para membros dos comités de resposta e reconciliação para prevenção e mitigação de violência eleitoral na Zambézia.

Os 58 jovens provenientes dos distritos de Quelimane, Mocuba, Gurue e Milange, têm a função de observar, identificar e reportar todos os atos de violência eleitoral durante o ciclo eleitoral.

O Jornal Txopela e Rádio Chuabo FM ouviu o primeiro vice-presidente da Comissão Provincial de Eleições, Orlando Mote, que disse “o centro para a democracia e desenvolvimento vai através desta plataforma que lidera contribuir para a promoção de eleições gerais pacíficas, credíveis e sem violência, em harmonia com a nossa missão de garantir que as eleições decorram de forma livre, justa e transparente, o que faz de nós parceiros da sociedade civil”.

Por seu turno, o diretor do centro para a democracia e desenvolvimento (CDD) Adriano Nuvunga, disse que a iniciativa visa através de uma componente de monitoria e resposta à violência nas eleições que se aproximam, promover um ambiente de confiança pública.

“Estudos mostram que a violência eleitoral inclui atualmente mulheres e grupos de homens, que incitam violência nas campanhas eleitorais, assim como nos atos de votação e este é o nosso grupo alvo, a nossa missão e garantir que atos do gênero não aconteçam ”- disse.

Adriano Nuvunga acrescentou ainda que ao longo dos anos, se tem notado situações de instrumentalização da juventude para a prática de violência em forma dos famigerados grupos de choque, “não pode haver coesão social, consolidação democrática e desenvolvimento numa sociedade onde os jovens são mobilizados a praticar violência, particularmente em processos eleitorais, os jovens são líderes e agentes de transformação socioeconômica da sociedade.”

Leia:  EDITORIAL: Não podem ficar impunes

Em paralelo decorre a formação de 38 membros anciãos para resolução dos problemas levantados pelos jovens monitores que fazem a identificação de possíveis violências eleitoral nas eleições presidências que se avizinham.

Ao nível nacional, a iniciativa é implementada em 20 distritos das províncias de Maputo, Gaza, Sofala, Manica, Zambézia, Nampula e Cabo Delgado e Conta com o apoio da PNDH (Pressão Nacional para os Direitos Humanos), do CESC (Centro de Aprendizagem e Capacitação da Sociedade Civil), do CEDES (Comité Ecuménico para o Desenvolvimento Social) e da ANDA (Associação Nacional para o Desenvolvimento Auto-Sustentado) e conta com um financiamento da USAID através da CounterpartInternational.

Translate »
Ir para topo
WhatsApp chat