FNB Moçambique avança com programa de transformação e reposicionamento

em DESTAQUES/EMPRESAS MARCAS E PESSOAS por

O FNB Moçambique pretende transformar-se num Banco de referência no mercado moçambicano em termos de eficiência, excelência de serviço e rentabilidade, alinhando-se em termos de inovação, melhores práticas, padrões de operação e centricidade no Cliente com o FirstRand, o maior grupo financeiro em Áfica por capitalização bolsista, do qual o FNB Moçambique faz parte juntamente com o RMB.

Para o efeito arrancou com um ambicioso plano de transformação e reposicionamento no mercado, que será implementado ao longo dos próximos anos e que envolverá um alinhamento de toda a sua estrutura, sistemas, processos críticos e rede de distribuição e um forte investimento na capacitação dos seus Colaboradores para se tornar num parceiro de referência para os Clientes dos segmentos Corporate e Comercial e suas respectivas cadeias de valor, nomeadamente os seus Clientes, fornecedores e Colaboradores.

 “Acreditamos que oferecendo uma proposta de valor diferenciada para os sectores geradores de emprego e para as suas respectivas cadeias de valor podemos dar um contributo mais significativo para o desenvolvimento de Moçambique e para a inclusão financeira”, referiu Johan Maree, Administrador Delegado do FNB Moçambique, para reforçar a relevância deste novo posicionamento que o Banco está a assumir.

O investimento significativo que os accionistas irão fazer neste plano de transformação e reposicionamento deverá ser feito de forma faseada ao longo dos próximos anos, à medida que os vários projectos forem sendo desenvolvidos e implementados.

Em 2018 o Banco levou a cabo um exercício profundo de reflexão sobre o posicionamento do Banco no mercado, definiu a sua Visão 2020 e a sua estratégia de transformação.

O novo posicionamento assumido pelo Banco, juntamente com um forte esforço de optimização de custos levado a cabo ao longo de 2018, conduziu o Banco a um resultado positivo antes de impostos de 29.542 milhões de Meticais, recuperando dos resultados de 2016 e 2017.

Leia:  Peça Teatral “Chang-Suga” sobre as dividas ocultas é sucesso de bilheteira

Não obstante estes resultados positivos antes de impostos em 2018, o Administrador Delegado Adjunto, Paulo Pereira, salientou que “o investimento na Estratégia de Transformação da Visão 2020 irá deteriorar, expectavelmente, os resultados de 2019 e 2020, devido ao custo de implementação das iniciativas de transformação, mas garantirá um forte crescimento a médio prazo, com os resultados a tornarem-se relevantemente positivos a partir de 2021”.

Acrescentou ainda que “estamos confiantes. O ano de 2018 demonstrou-nos que somos capazes de ultrapassar os desafios mais difíceis e de transformar o Banco numa operação rentável, que acrescenta valor aos seus clientes. O FNBM mantém-se profundamente comprometido com Moçambique, com os seus Clientes, Colaboradores, accionistas e com o desenvolvimento do país. Exemplo claro disso é o recente investimento efectuado pelo nosso Grupo, o maior de um banco africano, no projecto Coral Sul FLNG da área 4 de exploração do Gás Natural em Moçambique.”