Nepotismo nas ONG’s na Zambézia preocupa à Sociedade Civil

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

A falta de comunicação e transparência nos concursos e financiamentos das Organizações Não Governamentais (ONG’s) na Zambézia, preocupa membros da Sociedade Civil, parceiros e pessoas singulares.

O facto foi manifesto esta quinta-feira (28) em Quelimane, por membros da Sociedade Civil, num encontro mantido com o Embaixador da Europa em Moçambique, com o objectivo de elaborar propostas de financiamento, a várias associações e pessoas singulares.

Na ocasião, membros da Sociedade Civil, parceiros e singulares, foram unânimes em afirmar que o processo de selecção dos candidatos para vagas nas ONG’s, tem obedecido processos não transparentes, facto que contribui negativamente para as comunidades onde os projectos são implementados.

Afirmam ainda que o maior problema das ONG’s se encontra nos dirigentes que na sua maioria transformam as organizações em locais para atender questões familiares e de seus conhecidos, prejudicando assim a maior parte da população.

Falta de auscultação comunitária e envolvimento de líderes comunitários na implementação de projectos, continuam a ser motivo de conflitos entre à população e as ONG’s, uma vez que as mesmas, contratam seus activistas excluindo os nativos.

Em resposta as preocupações apresentadas pelos membros da Sociedade Civil, parceiros e singulares, o Embaixador Europeu disse estar preocupado com os casos.

Leia:  Quelimane comemora bodas do brilhante com um carnaval “Flash”