Deficientes visuais agastados com ACAMO na Zambézia

em SOCIEDADE por

Deficientes visuais dizem estar agastados com a nova direção da Associação dos Cegos e Ambliopes de Moçambique (ACAMO) na Zambézia, que nada faz para ajudar àquela camada que dia-a-dia enfrenta diversas necessidades.

Os deficientes visuais, acusam a nova direção de maus tratos, quando estes dirigem-se às instalações da ACAMO para apresentar suas preocupações.

A denúncia, foi manifesta esta quinta-feira (05) em Quelimane, pelos deficientes visuais, ao Semanário Txopela.

António Chiro, afirma que, desde que a nova direcção tomou o poder, aquela camada deixou de gozar os direitos que possuía, devido a falta de transparência na gestão das doações feitas por empresas e singulares, facto que tem contribuído significativamente na desistência de muitos membros da associação e a optarem por mendicidade.

António Chiro, acredita ser a melhor saída, mendigar todas as sextas-feiras acompanhado de seu neto, de forma a garantir mantimentos durante uma semana, uma vez que não possui outros modos de sobrevivência.

“Nós não estamos a ver o que essa nova direcção esta a fazer para nos ajudar. Desde que tomou o poder, não gozamos dos mesmos direitos anteriores. Quando vamos para apresentar nossas preocupações dizem que incomodamos muito. É por isso que muitos estão a desistir da associação” – lamentou.

Outro deficiente visual que decidiu falar em anonimato, disse ser complicado continuar membro de uma associação que nada faz para garantir que àquela camada tenha um subsídio básico aos membros associados.

Leia:  “Avião magico” despenhava em residência familiar em Quelimane