Carnaval de Quelimane 2019

Quando o Carnaval é de Quelimane

em DESTAQUES/OPINIÃO por

Carnaval de Quelimane, uma celebração anual, que é considerada a maior festa da cidade de Quelimane, O maior e melhor carnaval de Moçambique e organizado pelo conselho autárquico da cidade de Quelimane.

Este carnaval, traz na sua coreografia varias representações, dentre elas os processos da escravatura, a gastronomia zambeziana, a dança, a sexualidade, entre outras.

A sensualidade é patente nos trajes, deixando a nudez em grande parte do corpo e isso reúne toda a cidade de Quelimane, transportando para as ruas, crianças, adolescentes, jovens e adultos, para desfrutarem a nudez do carnaval, que na gíria popular, significa carne não val.

Não se resumindo apenas numa festa da cidade de Quelimane, o carnaval de Quelimane passou a ser uma festa para os zambezianos e quiçá para os moçambicanos. É o único carnaval de que os turistas nacionais e internacionais também fazem parte.

Mas tem aqui um dado muito importante, que transformou o carnaval de Quelimane, nessa festa global e esse dado foi exactamente, Pio Matos, antigo presidente do Município de Quelimane.

Esse dado consistiu em tirar o carnaval dos pavilhões, pertencente as elites de alta classe social, para um carnaval mais holístico, envolvendo todas as esferas sociais, culminando com os desfies pelas artérias da cidade e o emergir da fama alem fronteiras.

Este ano, o carnaval é celebrado sob o lema “Carnaval de homenagem aos heróis de Quelimane.” O lema surge para homenagear aos munícipes de Quelimane, que foram implacáveis ao controlar os votos que deram a vitória a Renamo.

No discurso de abertura, Manuel de Araújo, Presidente do Conselho Autárquico de Quelimane, agradeceu aos munícipes, mas sublinhou a sua gratidão aos taxistas de bicicletas, estes que sempre estão lado-a-lado, a lutar e transportando os munícipes para todos o lugares da cidade de Quelimane. Igualmente falou dos jovens que se manifestaram e expressaram uma vontade, que se realizou.

Leia:  Idai destruiu diversas infraestruturas publicas em Chinde na Zambézia  

Foi com o discurso que Manuel de Araújo abriu oficialmente o carnaval de Quelimane, edição 2019.

Abrilhantado por quatro bandas musicais, no primeiro dia apenas um DJ satisfez os grupos foliões com sambas repetidas, porque a técnica dos processos electrónicos haviam falhado, mas isso não desfez nem tão pouco a vontade dos munícipes sambarem.

Face a essa situação da música ao vivo, Joel Martins, responsável pela actuação das bandas, garantiu ao Txopela, que estava tudo assegurado mas, so no segundo dia as bandas tocaram diante de um som péssimo, que foi melhorando significativamente.

Apesar de toda a conturbação, o carnaval de Quelimane não deixou de ser uma festa que juntou todas as camadas da esfera social onde a gastronomia fez o seu papel.

Enterro do Rei Momo

Um ritual inequívoco, que apesar de ser artístico, mostrou verdadeiramente a tristeza nos semblantes de quem festejou com sagacidade o carnaval.

Este ritual, é de facto muito triste, porque os foliões tingem-se de preto representando luto, choram freneticamente, rebolam e manifestam a tristeza da maneira mais africana, por ser o fim de mais um carnaval, que se espera pela ressurreição um ano depois.