Morreu Chiposse, o “herói de Quelimane”

em DESTAQUES/POLITICA por

Nasceu a quase 6 décadas, concretamente no ano de 1960, o seu bilhete de identidade diz que foi no dia 30 de Agosto, na mesma data nascia o bispo Philippe Jean-Charles Jourdan na França, hoje um administrador apostólico da Santa Sé da Estónia.

Latitudes e longitudes diferenciadas, mas a devoção à Deus e as causas sociais e de justiça humana, eram notórias em Carlos Chiposse Abdula de nome completo, que perdeu a vida esta segunda-feira, 18 de março 2019 no leito hospitalar.

Homem de trato fácil, resistiu a diversas intentonas do regime, o ultimo golpe foi a sua prisão a 05 de fevereiro de 2019 quando estruturou junto de algumas organizações da sociedade civil, uma marcha pacifica nas artérias da cidade de Quelimane, para contestar a decisão do Tribunal Administrativo contra o actual autarca de Quelimane, Manuel de Araújo, que culminou com a prisão de dezenas de cidadãos.

Foi um dos primeiros a ser recolhido aos calabouços, depois de ter sido oferecido tratamento desumano por agentes da Policia da Republica de Moçambique, munidos de cassetetes e armas AK47.

Também foi a ele e aos outros 12 presos políticos que a cidade prestou homenagem na abertura e encerramento do carnaval de Quelimane 2019 em frente a praça da juventude.

Manuel de Araújo declarou-os como sendo “os heróis Quelimane” em razão do esforço e luta desmedida pelo bem-estar dos munícipes de Quelimane.

O Conselho Autárquico de Quelimane decidiu que o seu corpo será velado no espaço mais honroso da cidade, o salão nobre do município de Quelimane hoje terça-feira, 19 de março de 2019.

Leia:  Papa Francisco visita Moçambique em Setembro