LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

IDAI: Professores sofrem cobranças coercivas em Lugela

em DESTAQUES/EDUCAÇÃO por

Professores afectos em quase todas as escolas primárias e secundárias no distrito de Lugela, denunciam cobranças coercivas em apoio as vitimas do ciclone IDAI, protagonizada pelo partido FRELIMO e o Governo local.
Segundo as nossas fontes que decidiram falar em anonimato por temer represálias, afirmam que o partido FRELIMO e o Governo local, estabeleceram tabelas onde estão patentes os valores a pagar de forma obrigatória.
Além de descontos obrigatórios para apoiar as vítimas do ciclone IDAI, os mesmos, dizem estar agastados com a situação uma vez que as cobranças naquele local têm sido constantes e registados com mais frequência quando se trata de visitas de membros do Governo Provincial.
“Há uma cobrança coerciva, até estabelecida em termos de valores monetários. Isso não é apoio mas sim obrigação. O partido FRELIMO esta a cobrar, o Governo também esta a fazer o mesmo. Nem o Governo ao pedir apoio no estrangeiro, não definiu valores”-afirmou o anónimo.
Os descontos obrigatórios, variam de duzentos meticais a quinhentos meticais para cada director, pedagógico, chefe da secretaria, professores e outros funcionários afectos ao sector de educação naquele distrito. A mesma tabela, é utilizada pelo partido FRELIMO com o mesmo objectivo.
A cobrança, é extensiva para as localidades dos distritos, onde são obrigados a contribuir com quantidades significativas de produtos não perecíveis com destaque ao milho.
Os nossos entrevistados, lamentam a falta de transparência por parte do Governo local e do partido FRELIMO que agem de forma unânime, na cobrança coerciva de valores estabelecidos.

Leia:  GURUÉ E ALTO MOLOCUÉ: Grandes Projectos deslocam populações

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »
Ir para topo
WhatsApp chat