Falta de ponte Quelimane- Recamba condiciona acesso à água potável em Inhassunge

em SOCIEDADE por

Falta de ponte na travessia Quelimane-Recamba em Inhassunge, condiciona o abastecimento de água canalizada do FIPAG para os residentes daquela circunscrição geográfica, que percorrem longas distâncias para aquisição do precioso líquido em fontenários públicos.

A informação foi tornada publica esta quarta-feira (20), em Quelimane, pelo Director Executivo da Associação Cidadãos de Moçambique, Rogério Marques, no lançamento de um projecto com membros da sociedade, representantes das Organizações não Governamentais e membros do Governo, sobre o incremento do acesso à água potável em alguns bairros da cidade de Quelimane nomeadamente Inhangome, Ivagalane, e no distrito de Inhassunge.

Rogério Marques, explicou que a escolha dos bairros, deve-se a ausência de água canalizada, associada ao facto dos solos em geral serem insalubres, com poucas fontes de água e por se considerar zona de difícil acesso. Afirma que para a concretização do sonho daqueles residentes, no que diz respeito ao consumo de água canalizada pelo FIPAG, considera ser pertinente a alocação de uma ponte segura na travessia Quelimane-Recamba.

O Director Executivo da Associação Cidadãos de Moçambique, disse ainda ser preciso criar equipe multissectorial, envolvendo a Administração Nacional de Estradas, FIPAG, e outros membros para a materialização do projecto.

“Prometemos incomodar o Governo junto as suas estruturas competentes como a Administração Nacional de Estradas para se montar uma ponte”- Afirmou.

Refira-se que, o distrito de Inhassunge, possui cerca de 190 fontes, das quais a maior parte delas encontram-se avariadas devido à fraca manutenção.

Leia:  Moza e CMCQ firmam parceria de cooperação