Yaqub Sibindy defende a independência económica no País

em DESTAQUES/ECONOMIA E NEGÓCIOS/POLITICA por

O Presidente do Partido Independente de Moçambique, Yaqub Sibindy, defende a independência económica e política em Moçambique uma vez que tem sido o maior problema de conflitos.

Yaqub Sibindy, falava este Domingo (03) em Quelimane à margem das comemorações do dia dos heróis moçambicanos que se celebra este ano sob o lema “50 anos celebrando a vida e obra de Eduardo Chivambo Mondlane”.

“É importante que Moçambique olhe mais para a independência económica e política para o desenvolvimento da economia interna”- Adverte sublinhando, por outro lado, a necessidade de maior pragmatismo em torno dos projectos delineados para trazer desenvolvimento nos estados Africanos.

Yaqub Sibindy, fundamenta que o fracasso da resistência contra a ocupação colonial, deveu-se à falta de união entre os grupos existentes no país .

Para Yaqub Sibindy, a independência económica e política, afigura-se como uma saída, para que o país supere os actuais desafios e deixe de depender do apoio exterior para alcançar o seu financiamento orçamental, pois isso tem adiado o sonho do progresso.

“Lamento que depois de 40 anos independentes, o país continua a depender do financiamento do exterior. Vergonhoso é quando temos um país tão rico como Moçambique em que todos podem comer e o resto exportar, mas com tudo o que temos continuamos pobres” – afirmou.

Aponta ainda, como grandes desafios da actualidade para o país, a educação, saúde, pobreza extrema, a par da democratização, para a estabilidade política como condição do desenvolvimento.

Yaqub Sibindy apela a união dos partidos políticos como capital social para alcançar uma independência económica e política.

Leia:  ZAMBÉZIA: Biblioteca Provincial sem livros