Sector de Pesca apreende 110 kg de Peixe em Quelimane

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

A Direcção Provincial do Mar, Águas Interiores e Pescas apreendeu cerca de 110 kg de peixe e camarão nesta terça-feira em Quelimane, no âmbito da adopção de medidas de conservação e preservação dos recursos pesqueiros, sem deixar de lado a interdição da pescaria do camarão no período de veda.

O sector de pesca da Província da Zambézia, actuou ao abrigo da alínea L) do Artigo 12 da Lei n˚ 22/2013 de 01 de Novembro, que aprova a Lei de Pescas, abrangente a todas embarcações de pesca industrial, semi-industrial e artesanal, devendo as mesmas permanecer encostadas no respectivo porto, base e as áreas de pesca, devidamente armazenadas e desarmadas.

Entretanto, várias são as pessoas que tentam atropelar a lei praticando pescaria e venda ilegal de recursos pesqueiros, onde muitos dos casos terminam nas mãos das autoridades.

Luísa Nhampa, vendedora que viu seu peixe ser apreendido, disse tratar-se de uma injustiça por parte da Direcção Provincial do Mar, Águas Interiores e Pescas uma vez que deviam procurar pelos pescadores e não os vendedores. Condena ainda a musculatura usada pela polícia para amedrontar aquele grupo de mulheres.

A nossa entrevistada disse ainda que, a polícia e seus fiscais agem de forma parcial, uma vez que segundo a fonte, a apreensão destes recursos tem sido frequente em mulheres, distanciando-se dos pescadores e vendedores do sexo masculino.

“Há maioria das mulheres aqui presentes não têm marido e uma vez que a cidade é pequena, é difícil encontrar emprego. Estamos a batalhar para os nossos filhos terem o que comer e estudar mas aparecem outros para dificultar a vida” – Afirma

Mercia Juvêncio, classifica como abuso de poder, ao olhar pela violência que aquela corporação usou para apreender o peixe.

Leia:  EDITORIAL: Sr. Governador Razak, disciplinar seus quadros!

A proibição desse tipo de prática se estenderá até ao dia 28 de Fevereiro do ano em curso, nos termos da alínea H) do Artigo 100 da Lei que proíbe a compra e venda pelos comerciantes de espécies abrangidas pelo período de veda.