REMÉDIO: A Família que colocou o Governo Municipal de Quelimane de cócoras

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

Negociações com tons exaltados, era como se podia caracterizar os discursos dos representantes do Concelho Autárquico e do Senhor Francisco Remédio, proprietário de uma residência ao longo da avenida Joaquim Maquival na Unidade Residencial Acordos de Lusaka em Quelimane.

Facto é que o Conselho Autárquico se encontra a executar obras de asfaltagem de aproximadamente três quilómetros de extensão de uma estrada que liga o mercado municipal do lixo e a igreja santos Anjos do Coalane, a referida construção exigiria dos empreiteiros uma ginástica engenhosa para contornar a infraestrutura familiar da família Remedio que situa-se próximo a estrada.

Depois de vários meses de negociações entre o Concelho Autárquico de Quelimane e a família Francisco Remédio, caracterizadas por recusas por parte da família, esta segunda-feira a Autarquia informou que a família  decidiu ceder espaço para dar lugar a construção da estrada que liga o Mercado Lixo e a Paroquia de Coalane.

O Vereador de Urbanização e Infra-estruturas no Concelho Autárquico de Quelimane, Octávio Saide em entrevista ao Jornal Txopela explicou que para além da Avenida Joaquim Maquival que  circunda a habitação da família Remédio, esta também veda uma infra-estrutura de grande importância na sua parte traseira.

Segundo o nosso entrevistado, a família remédio tomou consciência dos riscos que corria com a sua permanência naquele local, dado que, com a finalização da obra o fluxo de carros e transitabilidade será maior.

“Desde o princípio do projecto não houve consenso logo a primeira, mas porque a obra que esta sendo feita é uma obra que vai beneficiar todos os munícipes da Autarquia decidiu ceder ”-frisou.

Octávio Saide, avançou ainda que foram criadas condições para albergar a família que será desalojada naquele local que constituía um perigo para suas vidas.