Preço de tomate no mercado grossista do Chabeco “agride” bolsos dos revendedores

em ECONOMIA E NEGÓCIOS/SOCIEDADE por

Clientes do mercado Municipal grossista do Chabeco em Quelimane contestam os altos preços praticados na venda do tomate, segundo justificam, após a quadra festiva os preços do tomate principalmente tiveram uma subida em quase 100%, facto que preocupa os revendedores daquele produto ao nível da cidade de Quelimane.

O cesto de tomate que antes era adquirido na quantia de 1450 meticais, passou para 2000 meticais, e o valor aumenta diariamente facto que obriga aos revendedores a aplicar um preço que lhes possa dar vantagem, pesando desta forma para o consumidor final.

Em entrevista ao Jornal Txopela os vendedores grossistas, explicam que o agravamento dos preços se justifica, dado que a época actual não é propicia para o cultivo deste tipo de cultura, “há escassez de tomate ao nível da província e os agricultores vendem a preços relativamente altos também “. Explica Teodósio Bolacha para quem, para além da escassez, o preço do transporte também sufoca aos comerciantes.

Outros produtos que obedecem a mesma ordem de subida de preços são: a cenoura, repolho e pimenta que na sua maioria são exportados na província de Tete.

Alguns revendedores de tomate em Quelimane explicaram que não há nenhuma instituição que possa mediar os preços, ou seja, não há regras para a fixação de preços nos mercados na cidade de Quelimane.

Leia:  MENÇÃO HONROSA 2017: LADINO SUADE