Munícipes de Quelimane em defesa de Manuel de Araújo

em DESTAQUES/POLITICA por

Um grupo de munícipes residentes na Autarquia de Quelimane por temerem “manobras” do Partido Frelimo está em campanha de pré-aviso as autoridades moçambicanas para a não intromissão no processo de tomada de posse de Manuel de Araújo, no próximo dia 07 de Fevereiro, cabeça de lista do Partido Renamo nas eleições de 10 de Outubro de 2018, e Presidente eleito do Conselho Autárquico para o exercício 2019-2023, validado pelo Conselho Constitucional, órgão máximo de Soberania em Moçambique.

Para além do Presidente da Renamo, Ossufo Momade que veio a publico recentemente apresentar a sua posição sobre o assunto que classificou de “maquiavelismo” por parte das instituições controladas pela Frelimo, e ter garantido que não irá tolerar quaisquer manobras contra a vontade dos munícipes de Quelimane, chegou a vez dos próprios munícipes defenderem a vontade expressa nos boletins de voto. No domingo preterido na praça dos heróis moçambicanos em Quelimane. Um grupo de cidadãos maioritariamente comerciantes dos mercados municipais em número assinalável ergueram dísticos de “alerta” caso haja intenção do Governo em não permitir a tomada de posse de Manuel de Araújo.

“Respeitem a vontade do povo” mensagens como esta foram largamente passadas ao longo das cerimonias do dia dos heróis na praça em Quelimane através de dísticos e cânticos.

Apesar da garantia do Governo da Zambézia de que Manuel de Araújo tomara posse como o sexto Presidente do município de Quelimane desde a sua fundação, alguns sectores em Quelimane mostram-se sépticos quanto a essa possibilidade.

Leia:  Abortada tentativa de venda de uma arma de fogo no mercado negro