Hospital Geral de Quelimane continua a registar casos de mordeduras caninas

em DESTAQUES/SAÚDE/SOCIEDADE por

A informação foi avançada esta terça-feira em Quelimane, pelo Chefe dos Serviços de Urgência do Hospital Geral de Quelimane, Gito Calisto, no habitual balanço das ocorrências das últimas setenta e duas horas.

Segundo a nossa fonte, os casos de mordeduras caninas têm vindo a aumentar quando comparados com as semanas anteriores.

Gito Calisto, disse que, durante setenta e duas horas foram registados 05 casos de mordeduras caninas contra 03 registados na semana passada. De entre as cinco pessoas mordidas por cães na semana última, um paciente teve critérios de vacinação.

“Durante as últimas setenta e duas horas registamos 5 casos de mordedura canina. De entre os casos, registamos apenas um caso de mordedura canina com critérios de vacinação, onde transferimos para o Centro de Exames Médicos” – afirmou

O Hospital Geral de Quelimane tem registado mais pacientes vitimas de mordeduras de cães, entre 10 a 18 anos de idade.

Gito Calisto, avançou que ao nível daquele Hospital tanto como nos Centros de Saúde, não são administradas as vacinas antirrábicas, apenas os primeiros socorros e a administração de vacinas contra tétano.

“Quando uma pessoa desenvolve raiva e morde outro ser humano é mais letal. A gestão das vacinas antirrábicas é da responsabilidade do Centro de Exames Médicos” – elucidou

O Serviço de Urgência do Hospital Geral de Quelimane atendeu cerca de 1260 pacientes, dos quais 16 foram transferidos para o Hospital Central de Quelimane e 46 pacientes com altas clínicas.

Leia:  CIP e instituto de directores realizam 1ª conferência nacional sobre pacto de integridade de negócios contra a corrupção