LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

MEPT quer transparência do orçamento alocado ao sector de Educação

em EDUCAÇÃO por

O Movimento de Educação Para Todos na província da Zambézia, quer transparência do orçamento alocado ao sector de Educação uma vez que o mesmo tem vindo a beneficiar certas pessoas, deixando alunos do ensino primário e secundário a estudar de baixo das arvores e sem carteiras.

O facto foi avançado na terça-feira finda em Quelimane pelo Oficial de Advocacia do Movimento de Educação Para Todos Filipe Benjamim, numa mesa redonda com os Orgãos de Comunicação Social, membros do Governos e a sociedade civil.

“Sentimos a necessidade de procurar formas e condições para uma boa gestão do orçamento do sector de educação uma vez o tem vindo a beneficiar um certo grupo de pessoas enquanto alunos do ensino primário e secundário estudam por baixo das arvores e sem carteiras”-disse Benjamim.

Oficial de Advocacia do Movimento de Educação Para Todos, refere que a mesa redonda visava criar soluções por forma a fornecer mecanismos de controle do orçamento alocado ao sector de educação na província da Zambézia.

Benjamim, disse ainda que a província da Zambézia enfrenta grandes dificuldades na gestão do orçamento onde é possível notar a super lotação de alunos nas salas de aulas.

“As metas que são definidas anualmente durante o período de execução orçamental tem se observado que as despesas que são definidas anualmente tem tido acima de noventa porcento do nível de execução enquanto não chega a vinte porcento”-frisou

Filipe Benjamim, acrescentou que o Movimento de Educação Para Todos pretende fiscalizar os nives de execução do orçamento alocado ao sector de educação.

Leia:  “É necessário desarmar a Renamo”-Alcinda de Abreu.
Translate »
Ir para topo
WhatsApp chat