LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

Analfabetismo preocupa mulheres na Zambézia

em EDUCAÇÃO por

O Movimento Nacional de  Mulheres pela Paz, mostra-se preocupado com elevados índices de analfabetismo na província da Zambézia.

Micaela Alexandre membro do Movimento Nacional de  Mulheres pela Paz, diz que a situação é mais preocupante nas zonas rurais onde por razões culturais aliado a não escolarização dos seus educadores torna o caso mais crítico.

Alexandre, sublinhou que os educadores proíbem suas filhas e mulheres de frequentar a escola sem justa causa facto que contribui para a não escolarização das mulheres e crianças.

“Estamos preocupados com o elevado índice de analfabetismo na nossa província. Aliado a isso, certos educadores que proíbem suas filhas e mulheres de frequentar a escola alegando que não lhes traz nenhuma vantagem, acabando por aumentar o número de pessoas não escolarizadas”-afirmou.

A fonte disse a Reportagem do “Txopela” que é chegada a hora do cenário mudar mas para tal, diz ser necessário toda a sociedade se envolver nas campanhas de sensibilização por forma a manter a mulher escolarizada.

Segundo a nossa entrevistada, citando os estudos feitos pelo Ministério de Educação do ano de 2017 a 2018, refere que os dados indicam que a esferográfica, cadernos, livros e salas de aulas nas zonas rurais não fazem parte da vida destes.

Leia:  USAID capacita jornalistas de rádios comunitárias da Zambézia em matéria de adaptação às mudanças climáticas
Translate »
Ir para topo