Entre atropelos e desorganizações, Milange vai as urnas

em AUTÁRQUICAS 2018/DESTAQUES/POLITICA por

Por: Lúnede Parrote

As primeiras horas de votação no distrito de Milange foram marcadas por afluência massiva dos eleitores nas assembleias de voto.

Quando eram pontualmente 07:00 horas o Administrador do Distrito deu início ao processo exercendo o seu dever de cidadania na mesa 04191—01 e apelou aos presentes para que depois de exercerem o seu direito regressem as suas casas porque a polícia não vai tolerar comportamentos nocivos a tranquilidade.

Na sequência, votou na mesma messa o cabeça de lista da FRELIMO que se fez presente ao local acompanhado por sua esposa,

Na mesma mesa, votou também Simone, cabeça de lista do MDM que instado a tecer algumas palavras, classificou o ambiente como sendo calmo, pelo menos até aquela hora.

Mas nem tudo correu muito bem nas primeiras horas na manhã desta quarta-feira. A título de exemplo, na EPC 7 de Abril, houve desentendimento entre o Presidente da mesa e o Delegado de candidatura do MDM, porque, segundo as palavras de Lourenço Mpissa, delegado de Candidatura do MDM, o Presidente da Mesa 05 impediu que os delegados de candidatura confrontem os nomes dos eleitores no respetivo cadernos eleitorais em sua posse.

Na EPC Chá Oriental, os eleitores com problemas de cartões (uns porque perderam e outros porque não acham os seus nomes nos cadernos) ficaram mais de uma hora e meia sem saber o que fazer, tudo porque o técnico do STAE afecto àquele posto, esqueceu o cabo de corrente para o seu computador.

Já na ESG Joaquim Maquival, um eleitor foi impedido de voltar na mesa 06, porque segundo o Presidente da mesa, o eleitor não estava em condições para poder se apresentar na Assembleia de voto. Entretanto, o secretário da mesma mesa, defendia que o eleitor estava sim em condições, no final, o eleitor foi retirado da sala.

Leia:  [:pt]HÁ 25 ANOS: Ex-Trabalhadores da empresa algodoeira sonham com indemnização[:]