Mulheres líderes debatem mecanismos de participação na tomada de decisões

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

A Cimeira Internacional das Mulheres Líderes Mundiais, que teve lugar em Maputo, reuniu uma rede de mulheres excepcionais para compartilharem experiências visando impulsionar a participação na tomada de decisões socioeconómicas dos seus países.

O encontro, que decorreu de quarta-feira (26) a quinta-feira (27) de Setembro, juntou líderes que conversaram sobre o seu papel no processo de desenvolvimento dos seus países. O evento, a ‘Cimeira Internacional das Mulheres Líderes Mundiais’,teve origem na união de esforços entre a Federação das Mulheres Empresárias da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (FME CE-CPLP) e a African Influence, organização vocacionada na divulgação de oportunidades de negócio.

A cimeira centrou-se em temas como a Liderança para Mudança, Emancipação das Mulheres Através dos Médias Sociais, e Superação de Preconceitos de Género.O evento contou com a presença de membros de Governo, do corpo diplomático, sociedade civil e figuras influentes no ramo empresarial como a Presidente da Federação das Mulheres Empresárias e Empreendedoras da CPLP, Maria Assunção Abdula, a Vice-presidente das FME-CPLP, Mônica Monteiro. Figuras de renome a nível Internacional também marcaram presença no encontro, com destaque para Astrid Fontenelli, jornalista e apresentadora do programa líder de audiência do público feminino no Brasil, Saia Justae Débora Ivanov, Directora da Agência Nacional de Cinema (ANCINE), no Brasil, líder do movimento de mulheres na comunicação.

O Governo esteve representado pela Ministra da Juventude e Desportos, Ana Flávia Azinheira, que no seu discurso apelou ao reconhecimento do contributo da mulher no crescimento da economia,”A mulher tem um papel preponderante para o desenvolvimento do nosso país e socioeconómico da região, é importante desconstruir a imagem do seu sofrimento, acelerando o seu potencial, focando na rapariga e nas oportunidades para todos os jovens”, destacou a dirigente na abertura da Cimeira.

Leia:  QUELIMANE: Crise de água potável em Icidua

Por sua vez o Diplomata Brasileiro Rodrigo Baena afirmou que,  “É preciso  impulsionar o espírito de liderança nas mulheres mais jovens”.

Na sua intervenção durante a conferência, a Presidente da FME CE-CPLP, a empresária Maria Assunção Abdula, sublinhou que empoderar a mulher é um grande passo para o desenvolvimento das Nações,“A aceleração do crescimento económico só pode ocorrer com a participação, mais activa, das mulheres nas diferentes áreas do mercado de trabalho. Assim, a erradicação da desigualdade de género através da emancipação das mulheres torna-se fundamental para o sucesso das empresas”.

Numa oportunidade única, as executivas compartilharam as suas experiências de liderança num ambiente interactivo. Na discussão de painel, Astrid Fontenelle disse que “Precisamos dar exemplos positivos, é importante sim contarmos com os homens porque eles são os CEOs da maioria de empresas existentes, mas precisam reconhecer que o plano de carreira da mulher não é uma ameaça”.

Por sua vez, as participantes foram desafiadas a aprimorar as suas competências e interagir entre si, atitude que potenciará uma nova dinâmica no seio das mulheres líderes do nosso país.
“Cada uma de nós têm sempre uma experiência para partilhar e este momento servirá para isso. De certeza que vai criar melhores condições de negócio”.

Sobre a emancipação da mulher através das redes sociais Débora Ivanov referiu que“as mulheres têm a capacidade para liderar qualquer área, porém devem envolver-se mais em movimentos associativos de modo a ocuparem mais espaço na tomada de decisões ”.

De lembrar que, no ano passado, a Cimeira Internacional de Mulheres Líderes teve, enquanto estreia, como principal convidada de painel a antiga Primeira-ministra Luísa Diogo a discutir e inspirar assuntos sob o mesmo prisma, focado na atribuição de ferramentas, estratégias e passos para uma liderança de sucesso.