LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

Governo quer reduzir licenciados no corpo docente do ensino superior

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

Por: Leonardo Duarte

Moçambique conta atualmente com cerca de cinco mil docentes a leccionarem no ensino superior e uma esmagadora maioria deste número são licenciados. Este facto e tido como preocupante para o ministério que superintende a área, dado que, segundo o nº 1 do Artigo 7º do Regulamento de Licenciamento e Funcionamento das Instituições do Ensino Superior, o ensino superior em Moçambique realiza-se com docentes altamente qualificados, habilitados com o grau académico de Doutor na área científica, técnica ou artística a que se candidatam para leccionar.

Esta preocupação foi manifestada na passada quinta-feira em Maputo, pela Directora Nacional do Ensino Superior Eugenia Rosa Cossa, no decurso do seminário de estatísticas e indicadores do ensino superior, um evento que já é tradicional para o Ministério da Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional (MICTESTP) e conta com o apoio orçamental do Banco Mundial através do Projecto Hest num valor estimado em 42 milhões de dólares americanos.

Na ocasião, Rosa Cossa fez saber que com o apoio do Projecto Hest, cujo o seu termino está previsto para Dezembro do presente ano, o Governo apostou na elevação do grau académico do corpo docente, uma vez que a sua meta é de ter zero licenciados no corpo docente do ensino superior em Moçambique.

Na componente de acesso ao ensino superior, Rosa Cossa disse que o Ministério de Ciência Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional ultrapassou em 149% as metas previstas no plano quinquenal do governo, que era de matricular cerca de 134 000 novos estudantes, tendo sido inscritos cerca de 200 000, isto é, 66 000 acima do previsto.

Leia:  Manuel de Araújo volta a violentar Namashulua
Translate »
Ir para topo
WhatsApp chat