LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

Mais de 3.500 empresas devem ao INSS na Zambézia

Mais de 3.500 empresas devem ao INSS na Zambézia

em DESTAQUES/ECONOMIA E NEGÓCIOS por

Cerca de 3.5oo empresas estão com registo de dívidas com o Instituto Nacional de Segurança Social INSS na província central da Zambézia, num valor aproximado a 63.7 milhões de meticais.

Estes números foram tornados públicos por João Motim, Director Provincial de Trabalho, emprego e Segurança Social na Zambézia, a margem do seminário de lançamento da campanha de cobrança de dívidas a ser levada a cabo pelo Instituto Nacional de Segurança Social em todo o território nacional.

João Motim disse na sua intervenção que as dividas em causa estão a prejudicar cerca de 14 mil trabalhadores e seus familiares, bem como os seus dependentes. “Hoje, esses trabalhadores e familiares, encontram-se numa situação de carência, ou seja, sem recursos para sobrevivência devido a falta de canalização das suas contribuições ao INSS pelas nossas empresas e por várias outras razões. Por exemplo, em 2017, das cerca de 2 mil ou mais de 2 mil infrações laborais detectadas em 900 a 800 empresas visitadas pelas nossas inspecções de trabalho. 695 ou seja, 34% das infrações referem-se a matéria de segurança social. E das cercas das 718 infrações constatadas em 198 empresas inspecionadas no primeiro semestre deste 2018, 46 ou seja, 23% foram igualmente sobre a matéria do segurança social” – vociferou Motim.

Estes números representam um nível de subterfúgio a canalização das contribuições dos trabalhadores ao INSS muito alto e perigoso para o futuro da massa laboral da província. Situação que segundo João Motim, poderá ser evitada se todos os empregadores acatarem os apelos que serão lançados durante a campanha de cobrança ora lançada.

Motim, fez saber ainda que as empresas do ramo de comércio, construção de obras públicas e de segurança privada lideram a lista das maiores devedoras do INSS: “Está claro que das empresas com registos de dívidas de contribuições existentes na nossa província, destacam-se as do ramo de comércio, contrição de obras públicas, segurança privada, indústria transformadora, agricultura entre outros serviços. Todavia, ao lançarmos esta campanha pretendemos apelar aos participantes desse seminário e a sociedade em geral, com vista a atenuar o sofrimento dos seus concidadãos que depende da canalização de descontos ao INSS como a sua principal fonte de receitas”.

Leia:  As duas faces de Manuel de Araújo

Para Eugénio Selemane, Secretário Executivo da OTM-CS, o processo ora acabado de lançar só poderá alcançar o sucesso que se pretende se todos os envolvidos exercerem o seu papel com zelo e responsabilidade: “Hoje, vamos proceder o lançamento da campanha sobre o processo de cobranças de dívidas. Quem deve? E quem é devido? Porque e que há dividas se o trabalhador é descontado? A OTM-CS, julga que tudo isso depende de nós todos. Depende de nos todos por que o nosso conjunto a nossa terminação poderá ultrapassar todas as diferenças que encontramos no processo dessa cobrança. Apelamos que haja uma cobrança correctiva a todos devedores para que haja garantia de assistência social a todos os trabalhadores inscritos no sistema” – cimentou.

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »
Ir para topo
WhatsApp chat