Silvino Bernardo

Agência do Zambeze e BNI lançam financiamento ao agronegócio

em DESTAQUES/ECONOMIA E NEGÓCIOS por

A Agência de Desenvolvimento do Vale do Zambeze em parceria com o Banco Nacional de Investimentos e o Instituto para Promoção das Pequenas e Medias Empresas— IPEME, apresentaram recentemente à disponibilidade de cerca de 6 milhões de euros destinados à financiar projectos de agronegócios ao longo do vale do rio Zambeze.

O financiamento que é tido como uma balão de oxigénio pelos membros do Conselho Empresarial Provincial da Zambézia, foi apresentado recentemente na cidade de Quelimane, aos seus beneficiários que se mostraram satisfeitos com à iniciativa, dado que, para além de ser um financiamento virado especificamente aos pequenos e médios empresários e aos recém graduados dos mais diversos estabelecimentos de ensino técnico-profissional e universitário, o mesmo apresenta taxas de juros bastantes motivadoras, se comparadas as taxas praticadas pelos estabelecimentos bancários locais.

No acto da apresentação, o representante da Agencia de Desenvolvimento do Vale do Zambeze, Silvino Bernardo disse que os interessados poderão remeter as suas propostas junto das instituições envolvidas no processo nomeadamente à agência do Zambeze, o Banco Nacional de investimentos, o Instituto de Promoção de Pequenas e Medias Empresas bem como o Conselho Empresarial da Zambézia.

Silvino Bernardo, disse que a escolha do CEPZ surge na medida em que, estrategicamente notaram que era necessário encontrar um parceiro que esteja a trabalhar em contacto directo com os beneficiários: “O CEPZ é o conselho empresarial provincial, praticamente ele é que está em contacto directo com os empresários. Dentro do CEPZ existe o pelouro de agronegócios e sendo o nosso fundo de agronegócios, acho que encontramos o parceiro certo para nos ajudar a disseminar a nossa informação aos reais beneficiários” – afirmou

Para Assane Chaual Naparia, Presidente do Conselho Empresarial Provincial da Zambézia, todas as linhas de financiamento que são criadas para beneficiar a classe empresarial provincial são bem-vindas na medida em que beneficiem realmente o empresariado local e que apresentem facilidades de pagamento e taxas de juros não adelgaçantes à economia do empreendedor: “Está linha de financiamento vai dar um balão de oxigénio ao sector privado, sobretudo quando se trata de um financiamento em que as premissas são muito claras: possuir Nuit, ter um terreno e a parte de duat simplifica-se quando aceita-se uma declaração. Porque muitos dos agentes económicos locais não conseguem ter o duat em tempo útil, mas aquela declaração para nós é muito gratificante. Acreditamos que temos motivos para dar certo uma vez que estamos a ter este encontro hoje, pouco momento antes do início da preparação da campanha de comercialização, um dos elementos importante é que o fundo dá capacidade aos agentes económicos de poderem participar na comercialização de cereais” – explicou Chaual Naparia

Leia:  Detido em Cuamba um dos assassinos de agente da PRM em Gurue

No final, todos os participantes eram unânimes em afirmar que o financiamento trará benefícios irrefutáveis para a vida económica das províncias situadas ao longo do vale do rio Zambeze, nomeadamente Zambézia, Sofala, Tete e Manica.

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.