LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

Moçambique e China assinam acordo para o combate ao comércio ilegal da madeira

Moçambique e China assinam acordo para o combate ao comércio ilegal da madeira

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

Os Governos de Moçambique e China assinaram, no sábado último, um Memorando de Entendimento que permite que Moçambique passe a controlar a informação sobre o volume de madeira que sai do País, rumo a República Popular da China.

O Memorando prevê que os dois países estabeleçam um intercâmbio para exploração, transporte, comercialização e exportação de madeira de Moçambique, de forma ordeira e sustentável, considerando a Plataforma do Fórum de Cooperação entre a China e África (FOCAC), que estabelece que a China vai apoiar no reforço da capacidade dos países africanos na protecção e gestão sustentável das florestas.

A assinatura do Memorando abre uma nova era na cooperação com a China, no âmbito da exploração florestal madeireira, pois vai consolidar os esforços que os dois governos têem estado a empreender no combate ao comércio ilegal da madeira, que lesou ao Estado moçambicano em aproximadamente mil milhões de dólares norte americanos, nos últimos 10 anos.

Para Moçambique, esta medida complementa o trabalho que tem sido desenvolvido nos últimos 3 anos, com a reforma do sector de florestas, visando criar condições para uma exploração sustentável económica, social e ambientalmente.

Os dois governantes concordaram ainda em desenvolver uma plataforma de coordenação bilateral mais profunda que irá permitir a transferência de tecnologia, capacitação institucional e melhoria do ambiente de negócios no âmbito da exploração madeireira.

O Governo chinês, reconhecendo os esforços do Governo de Moçambique em garantir uma exploração sustentável deste importante recurso florestal, vai implantar em Moçambique um Parque Industrial de Processamento da Madeira, que irá acrescentar valor ao produto, estimular o desenvolvimento da indústria local, a criação de novos empregos e aumento da renda das famílias moçambicanas.

Leia:  Jornalistas baseados em Quelimane capacitados em jornalismo de dados

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »
Ir para topo