Letícia Ramos

A profissão de contabilista e as exigências do mercado global

em DESTAQUES/OPINIÃO por

Por: Letícia Ramos* (leticiabentoramos@gmail.com

A história aponta que a profissão contabilista surgiu de forma natural com a evolução do homem e da sociedade. Ribeiro (2007) escreve que “a contabilidade surgiu a mais de 6.000 mil anos antes de Cristo”. A contabilidade passou por uma época chamada “ Época Empírica” De Lima (2005). Este autor acrescenta ainda que a contabilidade consistia em simples anotações para evitar lapsos de memória na troca de bens e serviços, passou por varias transformações e só durante a revolução industrial foi reconhecida como actuação profissional.

Segundo Zanluca, J. C & Zanluca, J. S (2018), a origem da contabilidade está ligada a necessidade de registos da actividade comercial de que demandaram os clássicos, sendo que indícios apontam que as primeiras cidades comerciais eram dos fenícios, mas o comércio foi exercido nas principais cidades da Antiguidade. Os autores referem que a actividade de troca e venda requeria o acompanhamento das variações de seus bens quando cada transação era efetuada, sendo que à medida que o homem começava a possuir maior quantidade de valores, preocupava-lhe saber quanto poderiam render e qual a forma mais simples de aumentar as suas posses; tais informações não eram de fácil memorização quando já em maior volume, requerendo registos.

Para Sombra (2013:21) não se sabe ao certo quem criou a contabilidade, entende-se como sendo a união de vários povos até a construção geral desta ciência, mais o sistema de escrituração que até os dias de hoje é adotado, o sistema das partidas dobradas, acredita-se que começaram a surgir por volta dos séculos XII e VIV em diversos centros do comércio do norte da Itália.

As fortes influências da globalização e a evolução tecnológica fez com que o contabilista deixasse de fazer uma simples anotação das variações patrimoniais das organizações, fornecendo informações confiáveis que auxiliam os gestores na tomada de decisões empresárias e actuando como um dos principais autores de desenvolvimento financeiro e económico das organizações.

Leia:  Policia prende 15 manifestantes em Quelimane

Assim, segundo Oliveira, Nascimento & Silva (2016) de sua função técnica, o contabilista passou a principal fornecedor de informações verídicas e confiáveis e, nesse novo contexto, o profissional se viu diante de um novo modo de trabalhar, onde precisa estar ligado a toda uma gama de novas funções inerentes a esse novo profissional.

Para Santos et al. (2017), é essencial identificar as habilidades e conhecimentos demandados pelo mercado de trabalho para que o profissional de contabilidade desenvolva sua carreira de forma eficaz. Com esse novo perfil que é exigido ao profissional de contabilidade actualmente e as constantes atualizações das normas e legislação que regulam esta profissão, os profissionais de contabilidade precisam estar atentos para acompanhar tais mudanças, visando cumprir de forma correcta o seu papel e obter um bom desempenho e destaque no mercado de trabalho, não apenas a nível nacional, mas também em nível internacional.

Hoje espera-se que o contabilista esteja em constante evolução, além de uma serie de atributos indispensáveis nas diversas especializações da sua profissão, e que segundo Moura & Silva (2004) há uma preocupação se os profissionais continuam se aperfeiçoando através de cursos de especialização, idiomas, informática e outros que atendam as tendências e perspectivas da profissão no mercado globalizado.

*Contabilista

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.