EPC de Micajune, o parque de diversão dos larápios

EPC de Micajune, o parque de diversão dos larápios

em DESTAQUES/OPINIÃO por

Luis de Figueiredo

É de resto uma situação de enojar o que tem acontecido naquele estabelecimento de ensino. No último final de semana indivíduos desconhecidos escalaram a janela que da acesso ao gabinete do Director Adjunto Pedagógico da Escola Primária Completa de Micajune arredores na cidade de Quelimane e se apoderaram de três computadores e uma impressora.

Segundo o chefe da secção de imprensa no Comando Provincial da PRM da Zambézia, Miguel Caetano, o caso deu-se numa altura em que a escola em alusão tem dois guardas-noturnos.

Miguel disse no entanto que durante o incidente, os guardas encontravam-se todos a dormir permitindo assim que os malfeitores pudessem lograr os seus intentos sem a menor perturbação dos agentes de vigilância afetos àquele estabelecimento.

Nos dias que correm é característico ouvir-se que uma determinada instituição sofreu uma invasão ou um furto, todavia, o nível de frequência e os contornos dos roubos que tem acontecido na Escola Primaria Completa de Micajune levantam uma série de questões. Se não vejamos:

No mesmo período do ano passado, a escola em causa foi assaltada por indivíduos desconhecidos que escalaram na calada da noite a janela que da acesso ao gabinete do Director Adjunto Pedagógico e furtaram computadores e outros materiais de escritórios. O guarda em serviço naquela altura disse que durante o incidente estava a dormir e não pôde se aperceber da presença dos malfeitores. O mesmo (o guarda) foi levado à barra da justiça e a escola tomou medidas disciplinares que culminaram com o seu afastamento.

Facto curioso é que neste ano, justamente no mesmo mês acontece mais uma invasão ao mesmo estabelecimento de ensino, nas mesmas proporções e com as mesmas características; a guarnição que desta vez é feita por dois indivíduos mostrou a mesma fragilidade (estavam a dormir).

Leia:  Jornal Txopela submete recurso ao Governador da Zambézia

A questão é: Porque será que os invasores só entram pela janela do adjunto pedagógico? Vamos supor que exista alguma fragilidade na janela em causa, será que custa tanto assim mandar reparar a janela em causa?

As minhas questões ficam aqui comigo adormecidas como sempre tem ficado, mas aos adormecidos da escola primária de Micajune fica o meu recado: O povo não dorme quando tem alguém a mostrar que pretende tirar a sua riqueza de si.

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.