Mulheres em Nampula instam as raparigas a resignarem-se dos males que atentam o seu futuro

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

Por: Agostinho Miguel

Mulheres da cidade e província de Nampula instam as raparigas a se distanciarem das acções que põem em perigo os caminhos conducentes a uma geração com mais esperança. A posição foi tornada pública esta quinta-feira, em Nampula na esteira das comemorações do dia internacional da mulher assinalada a 8 de Março de cada ano.

Para aquela camada social, as adolescentes devem-se engajar na melhoria de condições de vida o que passa necessariamente pela sua formação em várias frentes a que forem submetidas. Entretanto, o sucesso que só pode vir ser alcançado com o envolvimento de todos os estratos da sociedade. Disse Maria Elisa Rodrigues secretária provincial da Organização da Mulher Moçambicana OMM na província mais populosa do país.

A nossa interlocutora adiantou na ocasião estarem em curso trabalhos de sensibilização junto as comunidades, com principal destaque aos responsáveis da prática dos ritos de iniciação, a mudarem as mensagens a serem transmitidas as iniciadas.

Ė aqui, onde se exige a eliminação de algumas praticas costumeiras que prejudicam de certa maneira as raparigas, no concernente a sua evolução tanto psicológica assim como física.

“Os índices de casamentos prematuros ainda nos preocupam e estamos a fazer um trabalho principalmente com as lideranças comunitárias, com os responsáveis dos ritos de iniciação, com toda a sociedade para que de facto todos estejamos juntos e digamos não os casamentos prematuros”. Disse a governante.

Não obstante a estes e outros males, a timoneira das mulheres em Nampula mostra-se satisfeita porquanto a mulher se envolve nas acções viradas ao desenvolvimento do país. Outra satisfação verifica-se no ingresso massiva da rapariga a escola e apela aos pais e encarregados de educação a corresponderem positivamente com as exigências das suas educandas de modo a retê-las.

Leia:  CFM encaixa 106 milhões de dólares com a venda de acções do corredor logístico de Nacala

O mesmo contento foi secundado pela secretária permanente do governo de Nampula, Verónica Langa, assegurando que o governo liderado pelo presidente da república Filipe Jacinto Nyusi, tem estado a dar prioridade e equidade do género, nas várias frentes de governação.

Para ela o empoderamento da mulher em Moçambique, é uma realidade e projecções do governo poderão se concretizar no ano determinado, isto é ate 2030 as mulheres estarão a par das actividades do homem.

Oficializado pela Organização das Nações Unidas em 1975, o chamado Dia Internacional da Mulher era celebrado muito tempo antes, desde o início do século 20. E se hoje a data é lembrada como um pedido de igualdade de gênero e com protestos ao redor do mundo, no passado nasceu principalmente de uma raiz trabalhista.

Foram as mulheres das fábricas nos Estados Unidos e em alguns países da Europa que começaram uma campanha dentro do movimento socialista para reivindicar seus direitos – as condições de trabalho delas eram ainda piores do que as dos homens à época.

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.