LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

Detidos dois exploradores ilegais de Madeira no Niassa

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

António João

A polícia da República de Moçambique no Niassa aprendeu semana finda dois indivíduos que se dedicavam ao abate ilegal de madeira de pinho numa das matas no povoado de Matama distrito de Lichinga norte do Pais.

Os mentores desta actividade aproveitavam-se do período da noite para contornarem da inspecção feita pelos fiscais dos Serviços Distritais de Actividades Económicas e a polícia de protecção dos recursos naturais e meio ambiente.

Na posse dos exploradores ilegais a polícia de protecção dos recursos naturais e meio ambiente encontrou três serrotes que eram usados para o corte daquele tipo de madeira e abastecido ao mercado negro sem suas respectivas licenças para o efeito.

Falando a jornalistas durante o briefing das ocorrências criminais registadas ao longo da semana, o porta-voz do comando provincial da PRM no Niassa Alves Mathe avançou que, para além dos detidos outros puseram -se em fuga na altura do crime, quando viram presença dos homens da polícia.

De acordo com porta-voz do comando provincial da PRM no Niassa Alves Mathe, que revelou o facto, disse que o elevado índice de corte indiscriminado de árvores e a exploração ilegal de madeira esta contribuir para o desaparecimento de diversas espécies florestais na província da Niassa, particularmente no distrito de Lichinga e Ngauna. Numa altura em que diversas espécies se encontram em fase de crescimento. ”Estes indivíduos formam um grupo que se dedicavam ao corte ilegal da madeira na calada da noite nas matas de Matama usando a instrumentos artesanais como machados e serrotes para evitarem produzir ruído que chamem a atenção das nossas equipas de fiscalização, depois de descobrirmos e a polícia fez-se ao local e conseguiu os detê-los esses indivíduos na posse do seu produto, embora dizer que os outros puseram em fuga quando se aperceberam da presença policial “disse Mathe.

Por outro lado Mathe assegurou que o governo vai desencadear uma série de medidas visando desencorajarem os criminosos e pôr fim da exploração ilegal da madeira tal como outras actividades ilegais que põem em perigo os recursos naturais e ambiente na região.

Os indiciados confirmam o envolvimento no crime e explicam tudo como aconteceu “ nós estávamos a procurar de ganho, na semana passada alguém nos ligou para serrarmos madeira na machamba dele e quando chegamos não encontramos o dono, só pessoas que estavam a trabalhar e eles falaram, se vocês sabem trabalhar podem trabalhar quando chegar o dono vão combinar então começamos trabalhar antes de concluir chegaram a policia nos levar” disse o indiciado.

No mesmo período em análise indivíduos desconhecimentos com recurso a uma arma de fogo do tipo pistola alvejaram mortalmente uma cidadã de 43 anos de idade, no povoado de Cholue distrito de Chimbunila.

A fonte explicou que o caso aconteceu quando a vítima encontra-se a dormir no interior da sua residência na companhia do seu marido e os malfeitores agrediram violentamente exigindo valores monetários, e na tentativa de pedir socorro os malfeitores preferiram tirar a vida da malograda que quando viva dedicava na produção de produtos alimentares. “A vítima vendo as suas vidas estavam em causa gritou pedindo socorro e foi neste momento esses bandidos sem misericórdia baleou a vitima mortalmente” Esclareceu Mathe.

Face a este crime Mathe garantiu que a polícia esta trabalhar com vista a captura dos criminosos e recuperar a arma usada no acto do crime. “Há trabalhos em curso para esclarecer este crime hediondo, que vitimou uma camponesa” garantiu a fonte. Refira-se que este é o primeiro caso que se regista na província de Niassa neste ano.

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »
Ir para topo