LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

Falso professor detido em Derre

Detido falso professor no distrito de Derre

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

Luís de Figueiredo

Um individuo de 26 anos de idade, está desde a semana finda a contas com a Policia da República de Moçambique no distrito de Derre, acusado de exercer as funções de docente com um certificado falso de formação psicopedagógica.

O individuo cujo nome não nos foi facultado, era professor na Escola Primaria de Jasse no posto administrativo de Guerissa, situada há cerca de 90 quilómetros da sede do distrito de Derre, onde lecionava a 4ª e 2ª classes.

O Jornal Txopela apurou no local que somente no ano passado cerca de quinze professores falsos foram descobertos e expulsos das fileiras da educação naquele distrito. Entretanto, as autoridades locais declinaram-se a tecer quaisquer comentários sobre o fenómeno alegadamente por tratar-se de um caso delicado que exige total sigilo por parte dos responsáveis pelo sector.

Ouvidos no entanto alguns pais e encarregados de educação residentes nas localidades de Guerissa e Nambui que confirmaram o facto, estes mostram-se preocupados com o nível de frequência destes casos naquele ponto da província da Zambézia, dado que tem consequências no processo de formação dos seus educandos, pondo em causa a qualidade de educação.

Francisco Miguel, pai e encarregado de educação de três alunos da escola primária de Nambui, no distrito de Derre disse estar desapontado com o sector de educação, dado que este fenómeno observa-se com maior frequência naquele distrito: “estou preocupado, não sei o que esta a acontecer aqui, desde que Derre passou a ser distrito só estamos a ser vitimas de muitos malandros. Eu ando inseguro agora e não tenho a certeza se o enfermeiro que vai tratar da doença da minha filha está qualificado para fazer o trabalho porque a cada dia são novos casos de falsos funcionários do Estado” – lamentou.

Leia:  População da Madal condenada ao desprezo

Alguns docentes em exercício na Zip 08 Nambui, disseram que este fenómeno cria um ambiente de desconforto no seio daqueles profissionais. Tiago Albano, professor em exercício na EPC Passura, ZIP 08 Nambui disse que muitas tem sido as vezes em que tem-se sentido vigiado porque o clima de desconfiança passou a ser a tónica de sobrevivência naquele distrito. “É na verdade desconfortável quando alguém te olha na rua, porque ficas a pensar será que esta a me olhar porque gostou de mim ou porque desconfia que eu seja um professor falso? É claro que ninguém suporta carregar este tipo de peso nas costas – palavras de Tiago Albano

Importa no entanto referir que somente no ano passado 2017, 13 funcionários do sector de educação foram expulsos do aparelho do Estado por possuírem certificados falsos de formação de professores.

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »
Ir para topo
WhatsApp chat