DENÚNCIA DE ASSÉDIO SEXUAL: Umba inocentado

em DESTAQUES/REPORTAGEM por

O Tribunal Judicial da Cidade de Quelimane, inocentou esta terça-feira, 13 de Fevereiro de 2018 o docente e medico generalista Umba Ngoi Quiabo do crime de assédio sexual.

Umba Ngoi foi acusado por suas duas ex-alunas finalistas do Instituto Técnico Lugenda em Quelimane, que se encontravam a frequentar o curso de medicina geral em 2017. Estas denunciaram formalmente à Direcção Provincial de Saúde, Direcção Provincial de Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, e órgãos da justiça ao nível da Zambézia, o seu docente Umba Ngoi Quiabo de estar envolvido em casos de assédio sexual na instituição.

O caso foi matéria de Reportagem no Jornal Txopela na edição número 49, datado de 31 de Maio de 2017.

“As peticionárias que até ao momento encontravam-se a frequentar o 5º semestre e que foram reprovadas acusam também a direcção da instituição de ensino de tratamento discriminatório com os seus educandos, as queixosas incriminam a instituição de as ter reprovado sem causas devidamente fundamentadas a luz do regulamento escolar em uso naquela instituição e advogam que tudo trata-se de um caso de perseguição encetada pelo médico e também docente Umba Ngoi Quiabo por estas terem peremptoriamente recusado manter relações amorosas com o professor quando este assim solicitou” — lê-se no artigo que alusão.

Conquanto esta terça-feira no acto que marcou o julgamento do caso, Adelma Angélica Antonio e Gladis Ibrahimo José, as duas estudantes que denunciaram o docente Umba, não conseguiram apresentar provas das suas alegações ao juiz em sede do tribunal judicial de Quelimane.

E o tribunal por sua vez decidiu declarar inocente o medica generalista por comprovada insuficiência de provas.

Leia:  Indústria de bolachas em Quelimane maltrata funcionários

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.