INSS: Conclusão do processo de informatização em 2017

Alfredo Mauaie Director Geral do INSS 3 - INSS: Conclusão do processo de informatização em 2017O INSS-Instituto Nacional de Segurança Social prevê para este ano a conclusão do processo de informatização que vai conferir uma maior fiabilidade dos dados e permitir uma maior fluidez dos processos operativos. A conclusão da informatização do Sistema de Segurança Social, no País, constitui um dos maiores desafios que o INSS tem por ultrapassar neste ano de 2017.

Esta informação foi dada a conhecer, na segunda-feira, 30 de Janeiro, em Maputo, pelo director geral do INSS, Alfredo Mauaie, durante a apresentação do balanço das actividades do INSS relativas ao ano de 2016 e perspectivas para 2017.

O grande desafio ao implementar o processo de informatização do sistema assenta principalmente na gestão de conhecimento por forma a assegurar o saber-fazer.

Na ocasião, explicou que o referido processo foi estruturado em duas fases, sendo a primeira, que conheceu a sua conclusão em 2016, o da informatização da componente da arrecadação da receita e a segunda fase da informatização do pagamento de prestações que terá lugar no presente ano. “Após a conclusão da primeira fase da informatização, seguiu-se a fase de saneamento que consistiu na digitação e digitalização do histórico das contribuições”, referiu.

De acordo com Alfredo Mauaie, o INSS está neste momento a migrar os dados que estão nos registos manuais para uma base de dados digital, um processo que visa permitir o avanço para a informatização da componente de pagamento de prestações.

“Para podermos ter o pagamento das contribuições no sistema informático e a funcionar, é necessário que o sistema tenha já dados na sua base, que é o histórico de contribuições de cada beneficiário”, indicou Alfredo Mauaie.

Paralelamente à componente de pagamentos das prestações, Alfredo Mauaie avançou que, no decurso de 2017, o INSS vai igualmente “informatizar o regime dos trabalhadores por conta própria, o processo de emissão de certidões de quitação, a prova de vida, bem como o processo de parcelamento da dívida”.

“O processo de informatização vai conferir uma maior fiabilidade dos dados e vai permitir uma maior fluidez dos processos de cálculo das prestações, para além de permitir o apuramento rápido e fiel da dívida dos contribuintes”, garantiu.

De acordo com o director geral, o balanço que se faz do plano económico e social de 2016 é positivo. Fundamentou a avaliação com o facto de, neste ano, o INSS ter feito a inscrição de 10.114 novos contribuintes, perfazendo um total de 81.170, bem como de 93.024 novos beneficiários, que totalizam o universo de 1.253.700.

“Por conta própria há 10.476 contribuintes inscritos em 2016 e 1.747 trabalhadores foram enquadrados no regime de Manutenção Voluntária no Sistema (MVS), perfazendo um total de 16.517 trabalhadores, neste último sistema”, acrescentou.
Em termos de perspectivas para 2017, a previsão do INSS é de inscrever 11.461 contribuintes, 82.272 beneficiários, 13.318 trabalhadores por conta própria e 1.441 trabalhadores no regime de MVS.

No tocante à realização da prova de vida dos pensionistas do Sistema de Segurança Social, uma campanha levada a cabo entre Janeiro e Março pelo INSS, Alfredo Mauaie revelou que em 2016 foram abrangidos 43.972 pensionistas, de um universo de 46.098. Para 2017, conforme sustentou, a perspectiva é de abranger na totalidade os 51.578 pensionistas.

“Todavia, estamos cientes de que é uma meta difícil de alcançar, mas é nosso desafio cobrir o maior número possível, por isso o INSS está a criar todas as condições necessárias para atingir este objectivo, sobretudo aproximar os serviços de prova de vida aos pensionistas”, concluiu.

No âmbito da cobrança da dívida de contribuições, para o presente trimestre de 2017, estão em curso acções com vista a atribuir viaturas às delegações provínciais para em articulação com as inspecções provinciais realizar este trabalho para garantir que mais empresas assegurem o direito de pagamento das prestações que devem ao SSSO. As viaturas já foram adquiridas obedecendo os procedimentos de contratação pública do Estado.

No decurso do ano de 2017, a instituição iniciou acções com vista a implementar medidas de reforma para ajustar a sua estrutura de funcionamento, estando em curso o processo de aprovação do novo estatuto orgânico, quadro de pessoal, política e estratégia de investimento e outras com vista à redução de despesas.

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Default thumbnail
Notícia Anterior

Daviz Simango quer harmonia na administração pública

Default thumbnail
Próxima Notícia

Marc Polmans brilha na Australia

Recente deSOCIEDADE

Translate »
WhatsApp chat