Cancioneiro Lusófono

em CULTURA por

maria-1150x550Num exercício de virtuosismo coral Maria Bethânia guiou pela mão as mais de 1000 pessoas que encheram o Centro Cultural Universitário da UEM para a admirar.

Foram cerca de 90 minutos de palavras cantadas. Maria Bethânia, acompanhada por dois brilhantes músicos – percussão e cordas – apoderou-se das palavras de diversos escritores da lusofonia -de Angola, Brasil, Moçambique e Portugal. Dois deles, Mia Couto e José Eduardo Agualusa, participaram no espectáculo lendo os seus textos e contracenando com Bethânia.

Maria Bethânia alternava entre o registo vocal cantado e falado, num exercício de execução técnica irrepreensível que silenciou os espectadores.

Não sendo um formato inédito – recorde-se Silvana Mangano e Laura Betti com Pasolini, Núria Espert com Lorca, ou Eunice Muñoz com diversos autores portugueses – Bethânia tem sobre elas um inegável ascendente: é senhora de uma voz magnífica que, como demonstrou, não perdeu praticamente nenhum dos seus atributos aos 70 anos, cinquenta dos quais passados a cantar.

O espectáculo foi oferecido pela Confederação Empresarial da CPLP e contou, entre a assistência, com a presença de numerosos membros do Governo de Moçambique e diversos Embaixadores de países da CPLP.

Leia:  Soneto de amor a uma machangana

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.