ONU quer justiça em Moçambique

em DESTAQUES/POLITICA por

O Alto comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Zeid Al Hussein, suplicou, segunda-feira (13) , ao governo de Moçambique para o fazer o seu melhor para levar os autores das execuções sumárias e impulsionadores da violência à justiça. Al Hussein, que falava na abertura da 32ª Sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, Suíça, disse que “Moçambique mostra sinais de retorno à violência, após ter sido apreciado história de sucesso em África”.

“A retomada do confronto armado entre a ala armada da Renamo e o exército moçambicano provocou a deslocação de pessoas nas áreas afectadas,” disse Al Hussein. Ele denunciou casos de execuções sumárias, além de maus tratos aos defensores dos direitos humanos e jornalistas em Moçambique.

Além da acção contra os mentores da violência, Al Hussein pediu ao governo de Moçambique para “abordar a corrupção que impede que muitos gozem os seus direitos económicos e sociais”.

Leia:  Mercado da Massaniqueira: Fogo ateado ou curto-circuito?

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.