LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

SAÚDE: Governo vai contratar mais de 80% em 2018

em DESTAQUES/SAÚDE/SOCIEDADE por

O Instituto de Saúde de Quelimane lançou, recentemente, para o mercado de trabalho diversos quadros formados por aquela instituição de ensino. Numa altura em que o Estado moçambicano debate-se com a problemática de exiguidade de recursos financeiros, o Jornal Txopela buscou entender do chefe do pelouro de Saúde na província da Zambézia, Hidayat Kassim, o fim a que estão votados os novos profissionais de saúde ora graduados por aquele instituto de ensino.

Hidayat Kassim explica que há um trabalho em curso por parte da instituição que lidera com vista a “colocar a trabalhar os graduados do Instituto de ciências de saúde de Quelimane e do centro de formação de Mocuba”.

Dos mais de 700 graduados, nos últimos dois anos, a fonte explica que mais de 200 encontram-se a trabalhar para o Estado em diversos distritos da província da Zambézia, através de um fundo amealhado por meio de parceiros de cooperação para um período igual ou superior a um ano.

A fonte explica que, neste momento, estão em processo de contratação um total de 248 novos profissionais de saúde graduados pelo Instituto de Ciências de Saúde e outras instituições da área pelo Estado moçambicano.

“Significa que em três meses teremos aproximadamente 450 profissionais de saúde colocados ao nível dos nossos distritos para garantir uma melhoria na qualidade de prestação de serviços, diminuir o tempo de espera e de atendimento aos nossos doentes e, também, diminuir o rácio técnico-habitante ”.

Ao longo de 2018 está previsto a contratação de mais 200 novos graduados, facto que coloca na fasquia de 80% a contratação do pessoal de saúde disponível no mercado de trabalho na província da Zambézia. “Será uma mais-valia para o sistema nacional de saúde, uma mais-valia para as nossas comunidades porque teremos mais profissionais de saúde a trabalharem para o bem-estar dos doentes”.

Leia:  [:pt]HÁ 25 ANOS: Ex-Trabalhadores da empresa algodoeira sonham com indemnização[:]

O Director Provincial de Saúde, na Zambézia, Hidayat Kassim entende que embora todos os distritos da província necessitem de um reforço no acréscimo do nível de quadros de saúde, refere que o Governo deverá priorizar os distritos de Derre, Molumbo, Luabo, Mulevala, as circunscrições geográficas recém chanceladas à categoria de distritos. Conquanto, aquelas que têm maior densidade populacional também deveram merecer uma atenção especial no quadro da alocação de novos profissionais de saúde. “Todos os distritos da província está garantido uma média de 10 profissionais para cada, de modo a garantir a melhoria da qualidade de prestação de serviços” .

Hidayat Kassim apela a colaboração da população na denúncia de casos de cobranças ilícitas e mau atendimento dos pacientes às administrações dos hospitais e ao Governo.

Ir para topo