LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS 2018 “STAE já começou com manobras”

em DESTAQUES/POLITICA por

O Movimento Democrático de Moçambique ao nível da Cidade de Quelimane, em conferência de imprensa convocada para o efeito, manifestou a sua posição de repulsa com actuação do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) ao nível da Cidade de Quelimane que classificou de “manhosa” e de igual forma denunciou a existência de irregularidades no processo de recrutamento de jovens para agentes de educação cívica.

O Delegado político distrital, Rogério Waru Waru, explica que “este recrutamento passa por um processo de submissão de candidatura, selecção e apuramento. O que nós notamos é que houve uma selecção, uma entrevista e um apuramento. No final das contas, a lista de apuramento que aparece, que  é o resultado das entrevistas efectuadas, estão lá indivíduos que em nenhum momento manifestaram interesse em candidatar-se a essas vagas, ou seja, não constam da lista dos seleccionados”.

O MDM estranha este facto e aponta o dedo acusador ao Secretariado Técnico de Administração eleitoral de estar a fabricar uma fraude com a introdução de nomes estranhos e que ferem a transparência do processo.

O Delegado político distrital, Rogério Waru Waru refere que este tipo de empreitada não é recente e apela a vigilância de todos os partidos da oposição e a sociedade no geral.

“Este tipo de manobras é uma linha que começa daqui e vai desaguar com a introdução de boletins nas urnas de voto. Se introduziram nomes que em nenhum momento fazem parte da lista de apurados, significa que serão capazes de introduzir boletins na urna de votação. Se isto acontece cá em Quelimane não quero imaginar nos distritos”.

Aquela formação política recomenda que se siga escrupulosamente as regras do jogo para conferir credibilidade as próximas eleições autárquicas a decorrerem neste ano em todo o território nacional.

Leia:  QUELIMANE: Edilidade pode expropriar terreno ao Tribunal Judicial da Zambézia

“Já elaboramos uma carta de impugnação destes actos, vamos remeter para que este processo seja anulado ”. Explica.

O MDM solicita a retirada dos nomes que foram introduzidos sem o cumprimento das normas de selecção e apuramento e exige a responsabilização criminal dos funcionários daquela instituição que viciaram o processo.

O partido MDM refere que tem provas inequívocas sobre as acusações que imputa ao Secretariado Técnico de Administração eleitoral, da Cidade de Quelimane, e garante que vai recorrer a todas instâncias possíveis para conferir transparência aos escrutínios de nível autárquicos que se avizinham.

0 MT0.00
Ir para topo