LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

Donald Trump é um predador para os países africanos

em DESTAQUES/OPINIÃO/POLITICA por

Rabim Saize Chiria*

Trump é um predador que se confunde com o presidente, pois, ele ataca e destrói os corações dos africanos por meio de palavras injuriosas e insensatas. Eu não esperava que um chefe do Estado de alta potência tivesse uma ausência de responsabilidade moral, e chegasse a ponto de cometer uma tamanha desinteligência e barbaridade de chamar os países a africanos, como países de merda. Do meu lado não esperava! Perante essa atitude, alguns, o chamam de racista. Contudo, ele não é racista (não querendo reduzir-me ao nível dele) diria que Trump é apenas um predador faminto, que se alimenta dos seus insultos e insolências que profere aos Estados africanos.

Dizem que alguns embaixadores americanos pediram para que Trump peça desculpa aos ofendidos, mas eu diria que essa não é a solução, porque o que foi dito já foi dito. Não adianta se desculpar, antes de educar as suas vontades. O que se quer em Trump é a mudança do comportamento, e o reconhecimento de que a pessoa que detém o poder não pode ser medíocre, mas sim, bom e excelente,para todos os Estados e Nações, independentemente do facto concreto ao qual está vinculado.

Trump, não deve pedir desculpa a ninguém, porém, ele deve saber que o poder político não coaduna com a pobreza de espírito (não querendo afirmar com isso que ele é pobre espiritualmente). Neste caso, um presidente deve ter uma visão altura, aliás, deve ter capacidade de previdência para não cometer deslizes morais e baixezas, deve ter capacidade de ler e prever o impacto do seu discurso antes de proferi-lo. Pois, isto evita que ele seja confundido, como analfabeto infiltrado no campo político.

Leia:  Agricultores de Nangoela solicitam maior colaboração do Governo

Ao invés de insultar o povo, Estados e Nações, o presidente deve ser o conselheiro, pois, o presidente, para além de governar, ele é conselheiro do povo, Estados e Nações. Um conselheiro não manipula, não insulta, não oprime, nem por meio de palavrões, nem por meio da força física, mas sim, é um indivíduo de boa fé que aconselha pacificamente o seu povo, Estados e Nações. Portanto, para Trump, eu dou nota zero sobre vinte no seu mandato. É vergonhoso ter zero sobre vinte, porque a nota é vinte. Se tivesse zero sobre dez, ao menos teria atenuantes, mas a nota é zero sobre vinte.

*Licenciado em Filosofia pela Universidade Eduardo Mondlane

Ir para topo