LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

Mozal lança programa de combate a doenças não transmissíveis

Mozal lança programa de combate a doenças não transmissíveis

em DESTAQUES/SAÚDE/SOCIEDADE por
  • O projecto vai durar dois anos e serão aplicados cerca de $ 500 000 dólares americanos.

O Distrito de Boane na Província de Maputo acaba de receber um programa de âmbito sanitário com incidência ao combate de doenças não transmissíveis. Trata-se de uma valiosa acção que pretende a curto prazo mitigar os efeitos provocados por doenças que não são transmissíveis de uma pessoa para a outra.Mozal-lança-programa-de-combate-a-doenças-não-transmissíveis--300x200 Mozal lança  programa de combate a doenças não transmissíveis

Para o efeito a Mozal através de pacotes de projectos de assistência as comunidades de Boane acaba de renovar um acordo de parceria com a Jhpiego, uma organização não-governamental, para mais dois anos do programa de acesso a melhores condições de saúde desta feita virada especificamente ao campo de doenças não transmissíveis. O acto de assinatura do referido acordo que renova as actividades de assistência sanitária por mais dois anos teve lugar recentemente no posto Administrativo da Matola Rio a margem da Feira de Saúde organizada pela Mozal em parceira com o Governo distrital de Boane, que incluiu unidades móveis de testagem volutaria no local da feira, no âmbito das celebrações do dia mundial da luta contra o sida assinalado no passado dia 1 de Dezembro, tendo igualmente juntado um pouco mais de 2.000 pessoas das comunidades de Beluluane e Djuba.

Estatísticas da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram um quadro negro que as doenças não transmissíveis (hipertensão, diabetes, cancros, etc). provocam na vida das pessoas. A titulo de exemplo, em todo mundo mais de 40 milhões de pessoas morrem por ano resultado dos efeitos de doenças não transmissíveis o que representa 70% de todas mortes no mundo, tanto mais que em todos anos 15 milhões de pessoas morrem com idades entre 30 a 69 anos, sendo que mais de 80% destas mortes prematuras acontecem em países de baixa e media renda onde Moçambique infelizmente faz parte. Dai que a testagem e tratamento de doenças não transmissíveis, bem como cuidados paliativos sejam olhados como sendo componentes fundamentais em resposta a várias pandemias.

Leia:  Agente da PRM baleia cidadão

A renovação do acordo com Jhpiego resulta do facto desta organização ter implementado com sucesso, a avaliar pelo impacto que produziu no seio das comunidades, de um programa de Combate ao HIV Sida que foi finalizado no inicio do segundo semestre do ano em curso. O programa em alusão teve um foco no aconselhamento e testagem de HIV/SIDA. Dados em nosso poder indicam que em três anos o programa cobriu mais de 8 mil pessoas só em testagem, e destas mais de 3.000 eram HIV positivas. Um outro dado bastante importante tem a ver com o facto de o programa ter feito a testagem de perto de 3.000 mulheres gravidas sendo que mais de 1.000 eram HIV positivas. Com estes indicadores foi possível a tomada de medidas que permitiram o nascimento de 299 crianças HIV negativos de mães positivas. Um dos grandes alcances deste programa está ligado ao processo de seguimento de assistência a pessoas HIV positivas em unidades sanitárias de Boane.

Falando momentos depois da assinatura de renovação do acordo com a Jhpiego, entidade que de ora em diante vai se envolver na luta contra doenças não transmissíveis, a Administradora do Distrito de Boane lançou um forte apelo as comunidades para que colaborem com os agentes do programa como forma de participarem no combatente as doenças que vezes sem conta ceifam vidas. Teresa Mauaie fez saber que a Mozal é uma empresa que olha para a comunidade como um elemento fundamental no exercício das suas actividades. Por isso, finalizou a governante, “a participação e colaboração da comunidade neste novo projecto é de capital importância”.

Ir para topo