DECEPCIONADO COM A SUA INCOMPETÊNCIA: Manuel de Araújo exonera vereador Abrão Macete

em POLITICA por

Quelimane (Txopela) — A imprevisibilidade do edil de Quelimane, Manuel de Araújo continua a ser uma das suas armas mais predilectas na sua gestão no Conselho Municipal. Na última sexta – feira 13 de Outubro, aquele dirigente anunciou a exoneração do vereador de planificação e desenvolvimento autárquico no Conselho Municipal da Cidade de Quelimane.

Pesam sobre o exonerado, problemas como morosidade na tramitação dos processos e falta de harmonia institucional entre o sector que dirigia e os restantes departamentos que constituem a máquina governativa municipal.

Manuel de Araújo anunciou a sua decisão durante uma sessão de audição pública do Conselho Municipal da Cidade de Quelimane, um evento de interacção construtiva entre os munícipes e os órgãos municipais, onde são apresentadas as questões atinentes ao funcionamento do município e o relatório das actividades realizadas por aquele órgão.

O evento foi organizado pelo Programa de Monitoria de Responsabilização Social nos Municípios (MUNISAM), integrado no Programa de Desenvolvimento Municipal, financiado pelas embaixadas da Suécia, Suíça, Dinamarca e Irlanda.

Durante a apresentação do relatório da matriz de recomendações e constatações 2015 e 2016 respectivamente, a organização da sociedade civil, Samcom constatou que havia orientado ao Conselho Municipal da Cidade de Quelimane para reduzir o número de movimentações dos seus quadros dentro da máquina governativa, sustentando a sua visão com o facto de muitos vereadores serem movimentados em espaços de tempo bastante curtos, o que para eles não abona o funcionamento pleno da instituição visto que os munícipes ficam confusos por hoje chegar num departamento e ser atendido por uma pessoa e no dia seguinte ter que se lidar com uma pessoa diferente.

Em jeito de resposta, Araújo pediu desculpas a Samcom e disse que não compactua com funcionários incompetentes prometendo continuar a exonerar todos os funcionários que não se mostrarem à altura de responder as expectativas dos munícipes quanto ao sector que representa no órgão.

Leia:  “Nós não podemos colocar a saúde dos munícipes como um prémio partidário”

Manuel de Araújo foi mais longe ao afirmar que sabe de alguns funcionários da vereação de educação que chegam a ficar um mês sem se apresentar no posto de trabalho mas recebem os seus ordenados, ordenados proveniente dos esforços do povo que contribuiu para o cofre do Estado com os impostos e outras taxas.

Manuel de Araújo disse estar decepcionado com o nível de incompetência que o ex-vereador apresentava no exercício das suas funções dado que o exonerado mostrava certo grau de competências quando desempenhava as funções de Chefe da Bancada do Movimento Democrático de Moçambique na Assembleia Municipal: “Exonerei o vereador Macete ainda esta semana porque me mostrou um nível de incompetência muito grave. Ele parecia ser bastante competente quando ocupava a posição de Chefe da bancada do MDM na Assembleia Municipal, mas quando passou a ser vereador acomodou-se e relaxou distintamente. A nossa missão aqui é de servir ao munícipe de Quelimane, então se alguém se sente muito chefe ao ponto de não produzir os resultados necessários, nos não podemos pautar pelo silêncio porque o prejuízo será sentido no seio dos munícipes que são os nossos patrões” – ajuizou

Para ocupar o espaço deixado por Abrão Macete, Manuel de Araújo resgatou Renato da Silva que já desempenhou as mesmas funções nos anos transactos.