Combate a erosão ainda é uma miragem na bacia do Zambeze

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

Luís de Figueiredo

Quelimane (Txopela) — O Governo precisa de 200 milhões de dólares para a protecção e manutenção das margens do rio Zambeze em toda a sua extensão geográfica. O facto foi tornado público por Messias Macia, Director Nacional das Águas no Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos à margem da reunião de apresentação do relatório do estudo do plano de desenvolvimento da bacia hidrográfica do rio Zambeze decorrido na cidade de Quelimane na passada quinta-feira 21 de Setembro.

O processo que visa combater a erosão que vem ameaçando várias vilas ao longo da bacia hidrográfica do rio Zambeze, inclui entre outras actividades, a plantação de vegetação protectora que impeça a invasão das costas pelas águas e consequentemente a sobreposição das águas sobre as terras consumindo a terra de forma paulatina, a consciencialização das pessoas no sentido de fixar residência em zonas seguras longe do risco de inundações nas épocas chuvosas e o combate ao conflito homem fauna bravia.

O distrito de Chinde na província da Zambézia é um dos mais assolados pela erosão e o Governo local não tem ainda um plano à vista para mitigar os efeitos nefastos deste fenómeno natural que já consumiu duas vilas distritais, estando-se agora a morar na terceira vila de Chinde que esta igualmente sob ameaça de extinção.

Leia:  PRM na Zambézia declara guerra contra homens armados da Renamo