Os limites da política

em EDITORIAL por
Zito Ossumane- Director do Jornal Txopela

Por mais que a situação política esteja tensa e que parlamentares e homens públicos sejam livres para defender suas causas, é sempre preocupante quando alguns parâmetros do bom senso são claramente ignorados. Políticos e homens públicos são eleitos para enfrentar desafios como os que o país enfrenta hoje e deveriam colocar sempre os interesses da sociedade acima dos seus, dentro dos limites de padrões éticos. É justamente o que está longe de ocorrer em Quelimane, como ficou evidente a dias na Procuradoria Provincial da Zambézia os factos que marcaram um processo movido pelo Ministério Público deixa a nu esquemas de podridão na gestão de concursos públicos na função pública. E é o que transparece também nas tentativas de certas forças políticas de influenciar a decisão da procuradoria sobre a denúncia de que é alvo o ex-director de agricultura e segurança alimentar por corrupção passiva e empresários da praça.

Leia:  Daviz Simango: Pede transparência e seriedade na divida pública