LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

Cães vadios proliferam em Quelimane

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

Quelimane (Txopela) – A cidade de Quelimane tem estado a conhecer nos últimos tempos uma subida significativa de cães vadios que pululam de rua em rua, facto que tem estado a culminar com agressão das pessoas por estes animais, o que representa um gravíssimo de risco de saúde para a população.

Este facto é do inteiro conhecendo da edilidade e para reverter o cenário, mais de três centenas de cães vadios foram até ao momento capturados e abatidos.

A acção enquadra-se no âmbito das estratégias de controlo e ou eliminação de cães vadios na urbe, uma situação que está a preocupar sobremaneira as autoridades desta autarquia e os munícipes desta urbe de um modo geral.

De acordo com Kilner Juenta, Director para a área de Agricultura, Pecuária e Pesca no Conselho Municipal de Quelimane, o abate dos referidos cães vadios foi o culminar de uma campanha que a edilidade desencadeou ano passado ao nível da zona cimento de Quelimane mas a pretensão era de se estender para os bairros, todavia, tal facto não aconteceu por conta da exiguidade de recursos, nomeadamente, transporte, combustível e recursos financeiros para o pessoal envolvido no processo.

Kilner explica que nos últimos dias, tem estado a verificar-se um grande fluxo de cães ao nível da cidade, facto motivado pelo abandono dos mesmos pelos seus donos, face a isto este deixou ficar um apelo. Todos cães deviam ter coleira, deviam estar no domicílio e terem canis, deviam inclusive ter acompanhamento de higiene e saúde, banhos, um animal de estima deve viver este tipo de tratamento”, disse.

Kilner Juenta, referiu ainda não haver necessidade de criação de cães quando não se pode ter o controlo sobre eles e isso só trás mais problemas para a sociedade inteira, olhando para a questão de que quando estes agridem alguém, pior quando não estão vacinados, pode levar a morte, através da raiva, uma doença cuja reversão é quase impossível.

Leia:  Jornalistas baseados em Quelimane capacitados em jornalismo de dados

De acordo com o nosso entrevistado, ainda este ano, há garantias de ser desencadeada mais uma campanha de captura e abate de cães vadios, para salvaguardar a saúde das populações. “A edilidade está ciente dos perigos trazidos pela proliferação de cães vadios” – sublinhou.

O nosso entrevistado fez saber ainda que há uma outra preocupação que surge em meio ao caminho, trata-se essencialmente do aumento do número dos cães vadios nas imediações do Hospital Central de Quelimane, cães oriundo da zona do mangal a procura de alimentação.

Entretanto, estes pronunciamentos surgem numa altura em que estão sendo reportados muitos casos de mordedura canina, pelo menos ao nível do Hospital Geral de Quelimane, uma situação que está claramente a tirar sono as autoridades sanitárias.

Ir para topo