Por desvio de 900 mil meticais: Sete profissionais da saúde detidos em Nampula

em DESTAQUES/SOCIEDADE por

Por: Cristovão Bolacha  C/ Txopela-Nampula –


Quelimane (Txopela) – Um total de sete funcionários afectos ao Hospital Geral de Marrere, na cidade de Nampula, encontram-se a ver o sol aos quadradinhos desde os finais de Dezembro último, acusados de desvio de 915.819 meticais e simultaneamente, por estarem sistematicamente ligados a actos de corrupção.

A rede dilapidadora dos fundos do cofre do Estado era composta pelo pessoal dos recursos humanos, enfermeiros e o corpo administrativo daquela unidade sanitária, segundo Francisco Manuel Baúque, porta-voz do Gabinete Provincial de Combate à Corrupção em Nampula. De acordo com a fonte, a identificação e desmantelamento daquela rede de profissionais de ma fé, foi possível e graças a uma denúncia anónima feita àquela instituição sobre tais irregularidades.

Entretanto, os peritos na área passaram a investigar tal caso, de modo a apurar a veracidade dos factos, uma vez que a fonte cuja identidade é preservada em atenção a lei de presunção de inocência, apresentou relatórios de auditoria feitos ao Hospital Geral, entre outros documentos comprovativos.

Segundo apurou a Reportagem do Txopela em Nampula, tais funcionários envolvidos no crime, recebiam valores monetários dos cofres do Estado de forma fraudulenta e igualmente pagavam salários ilegalmente.

Segundo a nossa fonte, a detenção foi feita mediante uma solicitação ao juiz de instrução criminal, onde foram emitidos os respectivos mandatos. A investigação, de acordo com o porta-voz, constatou que se tratava de um crime de peculato previsto e punido de acordo com o estatuindo no Código Penal.

Em que instância está o processo deste profissionais desonestos? Encontre conteúdo completo na edição 27 do Jornal Txopela em pdf, em circulação desde quarta-feira finda, ou seja assinante e passe a receber  o Jornal todas semanas no seu email. #

Leia:  EDITORIAL: Não podem ficar impunes