ZAMBÉZIA: Contas do Gabinete de Combate às Drogas – 600 Mil meticais desviados – Silvério dos Anjos anda fugitivo da imprensa

em DESTAQUES/ECONOMIA/SOCIEDADE por

 

Por:Zito Ossumane – 


Quelimane (Txopela) – O caso está a ser investigado pela Polícia de Investigação Criminal ao nível da Cidade de Quelimane soube o Semanário Txopela de fontes próximas à instituição.

Trata-se de cerca de 600 mil meticais que foram extraviados das contas daquela instituição que lida com a sensibilização e combate às drogas ao nível da Província central da Zambézia.

Aos contornos:

O dinheiro proveniente dos cofres do Estado, mormente da Direcção Provincial de Economia e Finanças da Zambézia e destinados ao normal funcionamento como o pagamento de despesas institucionais, misteriosamente e sem explicação até ao momento plausível soube o Jornal Txopela, desapareceu das contas e na sequência funcionários da administração e finanças da instituição foram ouvidos semana finda pela polícia de investigação criminal.

O caso foi despoletado em Dezembro último, a Polícia de Investigação Criminal (PIC) na Zambézia confirma o facto, entretanto, nega prestar quaisquer esclarecimentos adicionais sob pena de atrapalhar o decurso normal das investigações. A Reportagem do Jornal Txopela está a três semanas a tentar obter declarações do Director do Gabinete de Combate as Drogas na Zambézia, Silvério dos Anjos entretanto este contorna.

Aliado ao roubo do dinheiro publico somam-se outros problemas na instituição, na edição numero 25, o Txopela despoletou a questão da falta de corrente elétrica naquele instituição a mais de 6 meses e que o facto criava descontentamento generalizado dos funcionários para além de denuncias internas de abuso de poder e cargo que Silvério dos Anjos é promotor.

Das tentativas em ouvir declarações sobre os factos que o Semanário Txopela investiga Silvério dos Anjos instou aos seus sequazes para oferecer tratamento rude aos jornalistas deste órgão que ao longo das ultimas três semanas fizeram-se a aquela instituição em busca do contraditório e apurar a versão do dirigente.

Leia:  O CURANDEIRO

“O director não está e ele não tem nenhuma obrigação de atender o vosso órgão, ele não pode sentar aqui a espera de vocês, ele tem obrigações no partido Frelimo e que tem de atender ” – foram com estas palavras que um dos funcionários da instituição identificável deu ultimato a nossa equipe de reportagem, informado de que o dirigente não vai atender o Txopela.

Contornos adicionais sobre este assunto poderá acompanhar nas próximas edições deste semanário.#