“Samora não tocava no Bem Público”

em POLITICA/SOCIEDADE por

Samora-Machel-300x186 “Samora não tocava no Bem Público”A declaração foi feita pelo antigo combatente da Luta de Libertação Nacional, Óscar Monteiro, durante um colóquio realizado em Maputo, no dia 20 do corrente mês, alusivo aos 30 anos da tragédia de Mbuzini.

Óscar Monteiro, que falava da Vida e Obra de Samora, disse que o primeiro Presidente de Moçambique nunca quis estar envolvido em questões de dinheiro, que para Samora, o Bem Público era bem de todos e ele respeitava.

“Samora ensinou-nos a não usar os Bens do Estado para benefício individual. Ele dizia que quem estava no Estado tinha a obrigação de defender e respeitar, os Bens do Estado”, contou.

Monteiro lamentou ainda pelo facto de, actualmente, não estar a se seguir os legados que Machel deixou, principalmente no que diz respeito à gestão do Bem Público.

“A sobriedade na gestão do Bem Público é importante. Mas, actualmente, nós entramos numa fase de concorrência onde, quem tem é o melhor. Isso de estar com o pé no Estado para fazer negócios a seu favor é absolutamente condenável. Se querem ser ricos, que saiam e façam negócios fora”, apelou o comandante.

Óscar que fez parte do Governo de transição considera uma doença, o facto de alguns dirigentes se aproveitarem de sua posição no Estado, para alimentar negócios particulares. O antigo combatente acredita que é o problema de conflito de interesse que impede que, o Estado se endireite.

Quando questionado sobre a maneira como Machel reagia às críticas, olhando para o modo como os actuais dirigentes reagem a mesma, Monteiro respondeu: “Samora aceitava críticas, aproximava-se da pessoa que o criticava para perceber melhor o contexto da crítica e reflectia sobre a mesma”.

Samora Moisés Machel foi o primeiro Presidente de Moçambique independente. Morreu no dia 20 de Outubro de 1986, num acidente aéreo quando regressava de uma reunião internacional em Lusaka. (Natalia Inacia Jaime)

Leia:  Samakuva abandona liderança da UNITA